Leal Junior : E Tenho Dito!

Eleição 2018! "Eu quero é botar meu bloco na rua..."

Publicado em: 03 de Março de 2018
Fonte: Portal LJ

Meus Amigos e Minhas Amigas,

 

Lembram daquela música que dizia "eu quero é botar meu bloco na rua...? "

 

Pois é...

 

Alguém tem dúvida que o bloco dos eventuais candidatos ao governo do Estado não esteja nas ruas do Tocantins?

 

Cada um com sua "música", com seu estilo, seja fazendo reuniões com discursos inflamados de apoiadores, seja facilitando a distribuição de verbas para continuidade de obras ou ouvindo a população para elaboração de plano de governo, o certo é que os blocos estão aí.

 

O que antevejo nisso tudo é uma campanha morna em termos de presença popular, entendo que o povo não está disposto a sair de suas casas para ouvir políticos, o que não é bom.

 

Infelizmente a classe chegou a um descrédito tal que está mais para servir de chacota do que para solucionar problemas, vender esperança  ou ilusões.

 

Lamentável!

 

Não está fácil pedir votos!

 

Qual mesmo será o discurso usado nessa campanha?

 

Prometer o céu e a terra? Falar que as coisas vão melhorar? Alguém vai acreditar nisso?

 

Sinceramente, lembro-me que alguns anos atrás o político era como um popstar, quando chegava todos queriam acompanhar, ouvir, aplaudir, até mesmo tirar uma fotografia, hoje seria uma selfie, afinal, os tempos são outros

 

Atualmente, infelizmente, a maioria foge, a não ser aqueles que devem obrigações, os que ocupam cargos, ou são beneficiados de alguma forma pela máquina.

 

Realidade que deve ser dividida entre os eleitores que na maioria escolhem mal, super mal, que não analisam, que não enxergam um  palmo acima do nariz, que cobram resultados coletivos, quando na verdade votam de forma interesseira, egoísta.

 

Que choram a inês morta (expressão que indica que é tarde demais para tomar alguma atitude a respeito de algo), criticando fortemente quem elegeram sem mínimo critério.

 

Os showmícios não existem mais, a legislação eleitoral tá de olho nos gastos excessivos, camisetas, bonés, contratações de cabos eleitorais a perder de vista, enfim, o que antes corria frouxo agora não corre mais.

 

Como atrair público é o grande desafio dos políticos para a campanha de 2018, as reuniões que já ocorreram, por exemplo, em Miracema, mostraram que a tarefa não será fácil.

 

Talvez estejamos caminhando para um cenário pintado por um amigo meu que dizia que chegaria o dia em que a lista de candidatos seria divulgada, os eleitores buscariam pesquisar sobre cada um, e na data da eleição votariam, quer dizer, não haveria campanha.

 

Utopia? Retrocesso absoluto?

 

Não sei, entretanto, espero que nós saibamos escolher bem esse ano, que sejamos críticos antes, e não apenas após as eleições quando os eleitos não correspondem.

 

Vamos acompanhar cada bloco que esteja na rua, não é obrigado que dancemos o frevo ou marchinha oferecido por eles, mas, que busquemos a decisão com olhos de lince e sabedoria de Davi para escolhermos o que é melhor para o Tocantins e para o Brasil.

 

Essa é a minha Opinião!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.