Homem pega 24 anos de priso no DF por assassinar ex com 'mata leo'

Publicado em: 29 de Março de 2016
Foto Por: Raquel Morais/G1
Fonte: G1
Fachada de anexo do Tribunal de Justia do Distrito Federal

O júri de Santa Maria, no Distrito Federal, condenou um rapaz por matar a ex-companheira asfixiada com um golpe conhecido como "mata-leão" e atropelar o corpo da vítima com uma moto. O crime aconteceu em outubro de 2014. Thiago Santos foi condenado a 24 anos de reclusão por homicídio com três agravantes – motivo torpe, meio cruel e utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Ele não poderá recorrer em liberdade. Durante o processo, a defesa de Santos alegou que ele era inocente e que não havia provas suficientes de que ele cometeu o crime. A defesa pediu tambérm que, em caso de condenação, fossem excluídas as qualificadoras de motivo torpe e do recurso que dificultou a defesa da vítima.

De acordo com a acusação, Santos tinha histórico de violência doméstica contra a vítima, Alexsandra Rio Branco da Silva. Ele costumava bater na mulher na frente dos filhos dela e abusava de bebidas alcoólicas, segundo a denúncia.

Em uma das ocasiões, ele espancou e deixou Alexsandra largada na cama após as agressões. Ela foi parar na UTI três dias depois por causa dos ferimentos. "A culpabilidade exacerbada do réu ficou evidenciada com o espancamento brutal da companheira na intimidade do lar, onde ela deveria se sentir mais segura", diz um trecho da sentença. 

O Tribunal do Júri de Santa Maria afirma que, apesar do contexto de violência doméstica, o crime não pôde ser incluído como feminicídio por ter acontecido antes da criação da lei, sancionada em março de 2015.

Feminicídio no DF
De acordo com o Ipea, o número de feminicídios no Distrito Federal subiu 15,8% entre 2004 e 2014. O estudo foi baseado em estatísticas do Ministério da Saúde, que compilou mortes causadas por agressão a mulheres no período.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.