Agricultura solicita liberao de zoneamento agrcola para milho safrinha

Publicado em: 04 de Abril de 2016
Foto Por: Lenna Borges / Governo do Tocantins
Fonte: secom Tocantins

Os bons resultados obtidos nas colheitas dos últimos anos contribuíram para o crescimento do cultivo do milho segunda safra no Tocantins. O Estado cultivou na safra 2014/2015, uma área de 849,6 mil hectares de soja, produzindo 2,4 milhões de toneladas da oleaginosa e 154 mil hectares de milho segunda safra, produzindo 724,3 mil toneladas do grão. Entretanto, os produtores vêm enfrentando dificuldades no acesso ao crédito de custeio e ao seguro agrícola, em função do milho segunda safra não estar incluso no Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) no Estado do Tocantins. Por isso, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), protocolou ofício junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), solicitando a atuação do Ministério para deliberar as ações necessárias, no sentido de viabilizar a inclusão das culturas do milho segunda safra e da soja cultivada em solos do tipo 01, no Zoneamento Agrícola de Risco Climático para todos os municípios do Estado do Tocantins, em tempo hábil de estarem disponíveis para a safra 2016/2017. Segundo o diretor de Políticas para Agricultura e Agronegócios da Seagro, José Américo Vasconcelos, esses solos não estão inclusos no zoneamento da cultura do milho e soja, segunda safra, no Estado do Tocantins, e que de acordo com as portarias do Ministério, publicadas para a safra 2015/16, estados como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e Pará já estão contemplados com o Zarc, nessa categoria de solos. Importância Para o secretário de Estado da Agricultura, Clemente Barros, os acessos ao crédito e ao seguro rural são fundamentais para o desenvolvimento do setor agrícola do Tocantins, proporcionando maior segurança ao produtor e, consequentemente, um maior desenvolvimento da agricultura no Estado. “É uma preocupação do Governo. Hoje, já plantamos mais de 70% de milho safrinha e, por não fazer parte do zoneamento, a safra fica descoberta do seguro rural. Portanto, qualquer eventualidade que ocorra, como a perda conforme estamos vivenciando na atual safra, o produtor não tem direito ao seguro”.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.