Operao apreende mais de 470 quilos de produtos irregulares em Tocantinpolis

Publicado em: 01 de Abril de 2016
Foto Por: MPE/Divulgao
Fonte: Jornal do Tocantins
Carnes sem refrigerao e proteo adequada contra moscas e bactrias

Um total de 175 quilos de carne bovina, linguiça e frango, 264 quilos de margarina, 28 quilos de queijo, 7,7 quilos de sorvete e produtos com venda proibida foram apreendidos em Tocantinópolis, a 517 km de Palmas. Além disso, dos 28 estabelecimentos vistoriados, 20 foram autuados por infringir as leis de proteção ao consumidor. 

O material foi apreendido durante a operação Pró-consumidor, que aconteceu entre a última terça-feira e ontem, executada pelo Público Estadual (MPE), Vigilância Sanitária, (Agência de Proteção e Defesa do Consumidor) Procon e Diretoria de Defesa, Inspeção e Sanidade Animal (Adapec) no município. 

Apreensões

As maiores irregularidades encontradas nos açougues foram de carnes expostas sem refrigeração e proteção adequada contra moscas e bactérias, poeira e outras impurezas. Com isso, em seis estabelecimentos foram recolhidos quase 150 quilos de material.

Já em supermercados do município foram encontrados 25 quilos de frango industrializado com data de validade vencida, e outras de 34 caixas deste item, equivalente a 264 quilos, de margarina estocadas em temperatura inferior a exigida pelos fabricantes. 

Também foram apreendidos aproximadamente 28 quilos de queijo e 7,7 quilos de sorvete sem selo de inspeção e sem informações de fabricação e validade. Ao todo foram 133 recipientes de álcool liquido concentração acima de 46º, que a revenda está proibida desde 2013, e 13 litros de leite sem pasteurização, que está proibido de ser vendido desde 1969, apreendidos. 

Paranã

No mês passado a operação Pró-consumidor apreende 941 produtos impróprios e interditou uma fábrica de sorvete em Paranã

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.