Pesquisa da Embrapa aponta que eficiência da adubação nitrogenada da pastagem depende de condições climáticas

Segundo o agrometeorologista José Ricardo Pezzopane, é importante conhecer o clima para melhorar a efetividade da adubação nitrogenada.

Publicado em: 12 de Janeiro de 2019
Foto Por: Gisele Rosso/Embrapa
Autor: Gisele Rosso de São Carlos (SP)
Fonte: Norte agropecuário
Pecuarista deve aproveitar período de chuvas para fazer adubação nitrogenada da planta forrageira

O nitrogênio é um dos nutrientes essenciais para o desenvolvimento das plantas, juntamente com o fósforo (P) e potássio (K).

 

A adubação nitrogenada é uma prática eficiente para melhorar a produtividade e a qualidade da pastagem.

 

No entanto, a eficiência da aplicação de Nitrogênio (N) depende de condições climáticas favoráveis: temperatura e disponibilidade hídrica.

 

De acordo com pesquisas da Embrapa Pecuária Sudeste, de São Carlos (SP), esta época do ano, com temperaturas altas e ocorrência de chuvas, é adequada para o pecuarista fazer a adubação nitrogenada da planta forrageira.

 

No estado de São Paulo, de modo geral, a fertilização com Nitrogênio, pode ser recomendada entre outubro e março.

 

Pesquisadores da instituição utilizaram a modelagem matemática para estimar a eficiência de uso de N nas pastagens de São Paulo e saber qual o melhor período do ano para sua aplicação.

 

Segundo o agrometeorologista José Ricardo Pezzopane, é importante conhecer o clima para melhorar a efetividade da adubação nitrogenada.

 

O nitrogênio é um dos nutrientes essenciais para o desenvolvimento das plantas, juntamente com o fósforo (P) e potássio (K).

 

O N proporciona aumento da produção de pastagem e, consequentemente, possibilita elevar o número de animais por hectare.

 

A pesquisa

 

O experimento, realizado na Fazenda Canchim, sede da Embrapa Pecuária Sudeste, foi coordenado pelos pesquisadores Patrícia Menezes Santos e José Ricardo Pezzopane, da Embrapa, e pela estudante de pós-graduação Sara Romeiro Lopes, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP).

 

A modelagem matemática foi utilizada para estimar a eficiência de uso de N nas pastagens de São Paulo. Para a simulação, foram selecionadas quatro cidades do Estado em regiões diferentes e com climas contrastantes: Araçatuba, Itapetininga, São José do Rio Preto e São Carlos.

 

Itapetininga e São Carlos apresentam temperatura média ao longo do ano mais baixa que São José do Rio Preto e Araçatuba.

 

Em Itapetininga, a estação seca é menos marcante, enquanto em Araçatuba e São José do Rio Preto ela é mais prolongada.

 

A adubação nitrogenada em cada período foi classificada em recomendada ou não recomendada, a partir da combinação entre os critérios de disponibilidade de água e temperatura.

 

Os períodos nos quais havia probabilidade igual ou superior a 80% de ocorrer a condição ”recomendada” foram considerados adequados para adubação nitrogenada.

 

As épocas variaram entre as cidades devido a diferenças climáticas. “Os resultados indicam que há variação na expectativa de resposta à adubação nitrogenada entre as regiões, em função das variações na temperatura e disponibilidade de água”, explica Pezzopane.

 

De dezembro a março foram os meses recomendados para adubação em Araçatuba; outubro a fevereiro, para Itapetininga.

 

Em São José do Rio Preto a adubação nitrogenada foi recomendada a partir de dezembro, não sendo adequada a aplicação entre abril e novembro.

 

Em São Carlos a melhor época para adubação nitrogenada é de novembro a março.

 

A identificação de épocas para recomendação de adubação nitrogenada em função da expectativa de resposta da pastagem contribui para maior eficiência de utilização de nitrogênio e sustentabilidade dos sistemas de produção animal, com impactos econômicos e ambientais positivos. (Da Embrapa Pecuária Sudeste)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.