Plano de melhoria da competitividade do setor lácteo prevê redução de impostos e assistência técnica ao produtor

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) está em conversas com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na busca pela implementação de um plano de promoção da competitividade do setor de lácteos no Brasil.

Publicado em: 27 de Fevereiro de 2019
Foto Por: Tony Oliveira/CNA
Autor: Norte Agropecuário
Fonte: Norte Agropecuário
Alguns temas foram considerados prioritários, como o fomento a assistência técnica e gerencial ao produtor rural, correção das distorções tributárias e redução de impostos.

O presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Rodrigo Alvim, reuniu-se com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, na segunda (25), para discutir a implementação de um plano de melhoria da competitividade do leite.

Segundo ele, o objetivo foi estabelecer um plano de promoção da competitividade do setor de lácteos no Brasil, utilizando políticas públicas alinhadas às estratégias econômicas do governo federal.

“O documento é uma iniciativa do Ministério e vem sendo construído pelo setor produtivo no âmbito da Câmara Setorial de Leite e Derivados”, explicou Rodrigo Alvim, que também é presidente da Câmara.

Alguns temas foram considerados prioritários, como o fomento a assistência técnica e gerencial ao produtor rural, correção das distorções tributárias, redução de impostos para diminuir custos de produção e iniciativas para promover as exportações.

O assessor técnico da Comissão, Thiago Rodrigues, explicou que a ideia da assistência técnica, por exemplo, é focar na maior efetividade do Programa Mais Leite Saudável. “A meta proposta pelo Mapa é dobrar o número de indústrias de lácteos atendidas pelo projeto até 2021, beneficiando assim, um maior número de produtores rurais”.

Durante a reunião, a equipe do Mapa apresentou a versão inicial do plano à ministra Tereza Cristina, pautando as linhas de ação a serem implementadas. (Da Ascom CNA/Senar)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.