Tocantins promove treinamento para técnicos do Pará sobre o controle de morcegos hematófagos

Adapec leva conhecimento sobre controle da raiva dos herbívoros a Adepará

Publicado em: 12 de Setembro de 2019
Foto Por: Divulgação
Autor: Dinalva Martins-Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
Adapec e Adepará nas propriedades rurais dos municípios de São Geraldo e Piçarra realizando o monitoramento de abrigos dos morcegos hematófagos

O Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) iniciou no dia 9 de setembro e segue até o dia 13, um treinamento sobre captura de morcegos hematófagos, principal transmissor da raiva na zona rural, para técnicos da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará). A capacitação está ocorrendo na região dos municípios de São Geraldo e Piçarra.

 

O inspetor de defesa agropecuária da Adapec, José Veloso Júnior, explicou que o objetivo é fortalecer as ações cooperativas entre as agências, principalmente nas que são desenvolvidas nos limites dos estados. "Estamos repassando conteúdo teórico e prático acompanhando as equipes a campo, para mostrar nossa forma de trabalho que tem sido referência em todo País", disse. As atividades consistem no monitoramento de abrigos dos morcegos hematófagos, captura, tratamento com pasta vampiricida, entre outros.

 

A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros da Adepará (PECRH), Arlinéia Maria Mota Rodrigues, disse que o intuito fundamental de contar com a participação do Tocantins é de mostrar aos colegas daquele estado a importância e o funcionamento da rotina de trabalho no cadastramento de abrigos desses morcegos. "O Tocantins tem sido parceiro, essa interação traz uma troca de conhecimentos que fortalece a defesa agropecuária, que é o principal objetivo de todos nós", avalia.

 

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, falou que a Agência está à disposição para colaborar com todos os estados brasileiros. "Sempre atendemos o chamado, pois temos consciência que a união gera resultados positivos à agropecuária brasileira", ressalta.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.