Análise: Corinthians tem motivos para sonhar com a Sul-Americana, mas precisa parar de perder gols

Timão se aproxima da meta adversária, pressiona e incomoda, mas sofre para ampliar o placar

Publicado em: 26 de Julho de 2019
Foto Por: Marcos Ribolli
Autor: Ana Canhedo — São Paulo
Fonte: G1
Time posado do Corinthians contra o Montevideo Wanderers

"Menina dos olhos" do Corinthians neste segundo semestre, a Copa Sul-Americanapode sim ser um bom caminho para os comandados de Fábio Carille na metade final da temporada. A vitória por 2 a 0 sobre o Montevideo Wanderers, do Uruguai, dá ao Timão tranquilidade para buscar a vaga às quartas de final do torneio.

 

Porém, é preciso parar de perder gols. Se antes o problema era o baixo volume ofensivo, nos últimos jogos o Corinthians se aproximou mais da meta adversária – como foi contra CSA e Flamengo, pelo Brasileirão. Mesmo assim, sofre para concluir com precisão e construir placares elásticos.

 

Contra o Wanderers, poderia ter saído de casa com uma goleada, não fossem as inúmeras chances desperdiçadas. De 13 finalizações, apenas quatro foram no alvo. O problema está na lista de correções do técnico Fábio Carille a serem feitas nos os próximos jogos.

 

– Tem sido assim nos últimos jogos: muitas finalizações, mas poucas no gol. É preciso acertar o gol. Precisamos ter uma precisão melhor. Temos chegado mais, mas agora precisa de uma precisão, muitas vezes é questão de tirar a força e acertar o gol – disse o técnico.

+ Leia mais notícias do Corinthians

 

O jogo

 

O setor ofensivo do Corinthians funcionou bem em razão da boa partida de Pedrinho. Escalado na ponta direita, o meia abusou dos cortes para dentro para buscar o chute e achou espaços com dribles desconcertantes. Com a ajuda de Fagner, responsável por bagunçar ainda mais a marcação pela ala direita, o xodó da Fiel viu seu jogo encaixar na Arena.

 

Pedrinho foi uma espécie de motor do Corinthians. Foi dele a boa jogada que terminou em gol de Clayson após dobradinha com Vagner Love. E foi dele também o gol marcado na reta final da partida, quando todo o sofrimento corintiano na busca de um placar elástico parecia em vão.

 

Vagner Love foi outro a fazer bom jogo na Arena. Praticamente todas as tentativas do centroavante de fazer o pivô e ajudar os companheiros de lado a se aproximarem do gol funcionaram. Leve, mas também forte o suficiente para vencer a marcação, circulou bem pela área e suas proximidades.

 

Porém, foi justamente a cara do Corinthians na partida: perdeu duas chances no primeiro tempo e outras duas na reta final do confronto.

 

Se Júnior Urso teve certa dificuldade na criação das jogadas, o trio formado por ele, Pedrinho e Fagner conseguiu abastecer bem o ataque, fazendo a bola chegar até Clayson – Love, por exemplo viu toda a jogada do gol ser construída pela direita e cruzou para trás para achar o atacante na esquerda.

 

Ao Timão, faltou também maior segurança na zona defensiva. Com o controle do jogo durante os 90 minutos, tomou alguns sustos do Montevideo Wanderers. Manoel, duas vezes, se atrapalhou com a bola nos pés. Na reta final, Lucas López chutou de fora da área para ótima defesa de Cássio.

 

O primeiro passo já foi dado: o Timão voltou a incomodar os rivais. Cabe agora ao treinador ajustar a pontaria de seus comandados. Restam seis jogos até a final do torneio. Para chegar lá, o Corinthians precisará fazer ainda mais.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.