Movidos pela paixão, mães e filhos seguem carreira profissional na educação

São histórias de heroínas como a diretora Silmara e sua filha Thálita, da Escola Estadual Setor Sul, em Palmas, de Juvercina e Helga, de Guaraí, e da gestora escolar Ana Maria e sua filha Luciana, de Miracema.

Publicado em: 11 de Maio de 2019
Foto Por: Divulgação
Autor: Josélia de Lima / Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
Ana Maria e Luciana – Um amor pela educação transmitido de mãe para os filhos

Apaixonada pela educação, Silmara Siqueira Rosário conseguiu empolgar sua filha Thálita Oliveira Rosário, a também cursar Pedagogia. Esse amor pelo ensino, aproximou muito as duas, Silmara é diretora da Escola Estadual Setor Sul, em Palmas, e Thálita atua como professora auxiliar.

 

Silmara nasceu em São Paulo, de uma família com vocação para o comércio. Foi em Palmas que sentiu a necessidade de ter um curso superior.

 

Pensou e decidiu por Pedagogia e, no decorrer dos estudos, se encantou com a transformação social que a educação é capaz de fazer.

 

Ela atuou como professora na 1ª fase do ensino fundamental, como coordenadora pedagógica, secretária e, agora, atua com diretora escolar. Parte da experiência na educação Silmara alcançou quando trabalhava na Escola Estadual Alfredo Nasser, em Porto Nacional.

 

Ela também trabalhou no Centro de Atenção Integral à Criança (Caic), em Palmas. Nessa época Silmara caprichava na elaboração das aulas, preparando cartazes, painéis e outros materiais didáticos com a ajuda de sua filha Thálita, que acabou se interessando pela alfabetização e pela educação especial.

 

"Minha filha tinha uma turma imaginária e dava aulas para esses alunos, foi então que percebi que ela tinha talento para o ensino", disse Silmara.

 

"Eu achava bonito a forma como a minha mãe preparava as aulas, parecia ser um mundo encantado", comentou Thálita.

 

Thálita cursa atualmente o 6º período de Pedagogia e frisou que quanto mais estuda, mais se encanta pela proposta da educação.

 

"Gostei muito de estudar a história da educação, tantos personagens que se destacaram nas discussões para se construir uma proposta educacional de qualidade. Gosto muito de crianças, é outro fator que me fez optar pelo ensino", afirmou.

 

Falando sobre educação, Silmara ressaltou que o maior desafio é fazer com que os jovens sonhem e acreditem que, por meio da educação, eles poderão atingir seus objetivos.

 

"A maioria dos nossos alunos pensam no hoje, não aprenderam a planejar o futuro. Esse é um dos nossos papéis, ajudar os alunos a traçarem seus destinos e despertar neles as diversas habilidades", comentou Silmara.

 

A história de Juvercina de Guaraí

 

Outra mãe que também inspirou a filha foi a professora Juvercina de Sousa Santos, que está na educação há 30 anos. Atualmente, Juvercina trabalha na Diretoria Regional de Educação (DRE) de Guaraí, cuidando do Patrimônio.

 

O amor de Juvercina pela educação começou cedo. "Acredito que nasci para ser professora, desde a minha infância ajudava meus colegas que tinham dificuldades no aprendizado, comecei ministrando aulas de reforço numa sala improvisada na casa dos meus pais", contou.

 

Juvercina nasceu em Guaraí, cursou o antigo curso de Magistério, o que lhe possibilitou ser aprovada num concurso público da educação.

 

"Sou professora por vocação, tenho certeza de que todos os dias você mudará positivamente a vida de alguém. Faço parte, aqui na minha cidade, da história de cada aluno que contribui para o seu aprendizado", disse.

 

E foi no lar, cheio de amor pela educação, que nasceu Helga de Souza Santos. Ela escolheu a área da saúde, é farmacêutica bioquímica, mas com a influência familiar, fez a complementação pedagógica em Química e pós-graduação em Mídias da Educação e, hoje, atua como professora de Química e Física na unidade VIII do Colégio da Polícia Militar (CPM) Dona Anaídes Brito Miranda, de Guaraí.

 

"Escolhi ser professora pelo poder que a profissão tem de transmitir conhecimento, mostrar ideias e promover a transformação social", contou.

 

Juvercina é avó e bisavó. Helga tem dois filhos e, sobre sua mãe, ela comentou: "Tenho orgulho e felicidade de ter como mãe uma mulher que ensinou as pessoas que o mundo não tem limites, que cada um pode alcançar seus sonhos", frisou.

 

"Ser professor ou professora é uma missão escolhida por Deus. Quanto à minha filha Helga ser professora é porque ela entendeu que esta é uma profissão desafiadora e que nos deixa muito feliz", contou.

 

As lições de Ana Maria de Miracema

 

A educadora Ana Maria Lucca, diretora do Colégio Tocantins, de Miracema, também foi inspiração para os seus filhos Luciana Lucca, que é secretária da Escola Estadual Professora Darcy Cardeal, em Palmas; Lucas Lucca, que leciona Matemática; e de Diego Hilário, professor de Educação Física.

 

Ana Maria nasceu no Rio Grande do Sul, chegou a Pedro Afonso em 1984, onde morou por sete anos. Depois prestou concurso público e, em 1991, mudou-se para Miracema, onde reside até hoje.

 

Há 18 anos atuando como gestora, Ana Maria fala de sua satisfação. "Gosto muito do que faço, me identifico com a filosofia e a espiritualidade da congregação e tenho como compromisso, juntamente com a nossa equipe, de trabalhar para a construção de uma sociedade mais humana e mais fraterna", comentou.

 

E sobre a maternidade, Ana Maria comentou sobre essa importante atribuição. "Ser mãe, acredito que seja o desejo mais profundo da maioria das mulheres. Mas nem sempre sabemos vivenciar com sabedoria essa experiência. Porém, Deus com seu infinito amor nos conduz para que possamos cumprir nossa missão", destacou.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.