PM confirma que jovem assassinado no Miracaxi foi baleado perto de base móvel da polícia

Polícia confirmou que homicídio foi praticado perto do veículo, mas que no momento passava um trio elétrico, com som alto. Adriano Parente, de 21 anos, era morador da região sul de Palmas.

Publicado em: 22 de Julho de 2019
Foto Por: Heitor Moreira/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Crime foi praticado ao lado do micro-ônibus da Polícia Militar

O jovem Adriano Parente Cardoso, de 21 anos, assassinado durante o Miracaxi, foi atingido por tiros ao lado do micro-ônibus da Polícia Militar, segundo testemunhas.

 

O veículo é cheio de câmeras. O crime aconteceu na madrugada deste domingo (21), quando uma multidão participada do maior carnaval fora de época do Tocantins.

 

O jovem morava no setor Taquari, região sul de Palmas, e trabalhava numa oficina mecânica. Ele não tinha nenhum tipo de passagem pela polícia.

 

A Polícia Militar contou que havia no circuito dois pontos de apoio para a PM, sendo um deles, o micro-ônibus, que foi estacionado perto da entrada do circuito.

 

A polícia confirmou que o homicídio foi praticado próximo ao veículo, entretanto, durante a execução do crime, passava um trio elétrico, com som alto e uma multidão de pessoas que o acompanhava. (Veja abaixo nota na íntegra)

 

A noite de sábado (20) registrou o maior número de pessoas. O cantor Durval, ex-vocalista da Banda Asa de Águia foi o primeiro a subir ao palco.

 

A confusão começou no início do último show, do cantor Cris França. Adriano foi atingido com pelo menos dois tiros no meio da multidão.A apresentação foi interrompida após o crime.

 

Uma testemunha, que preferiu não se identificar, estava no camarote e presenciou a correria momentos após os disparos.

 

“Eu achei que alguém tinha caído, que alguma coisa tinha acontecido em cima do trio. Depois eu vi que as pessoas começaram abrir uma roda, logo na frente do trio. A festa acabou, o trio parou e aí a polícia já chegou e o resgate já começou a fazer o isolamento da área”.

 

No momento do assassinato, o trio elétrico descia o circuito. Segundo testemunhas, o jovem foi morto em cima da calçada, ao lado do micro-ônibus da PM que fazia o monitoramento da segurança do evento.

 

Quem atirou, conseguiu fugir. O funcionário público Jurandir Rodrigues é morador pioneiro de Miracema e ficou preocupado com assassinato no meio da festa. “Não é normal acontecer isso. Uma festa dessa pode acontecer, mas no meio da festa, não é normal”.

 

O crime aconteceu por volta das 4h deste domingo (21), mas o corpo só foi retirado às 8h. O Miracaxi é realizado tradicionalmente num ponto turístico de Miracema chamado ponto de apoio.

 

Em nota, a Prefeitura de Miracema do Tocantins lamentou a morte e prestou condolências à família. A gestão informou que a segurança no local foi feita com o suo de detector de metais, vistoria, segurança particular especializada, policiamento militar, civil, força tática, Corpo de Bombeiros e monitoramento com câmeras. As imagens do local serão analisadas e as investigações seguem para tentar desvendar o motivo do crime.

 

Nota da PM na íntegra

A PM informou que havia no circuito dois pontos de apoio para a PM, sendo um deles, o micro-ônibus, que foi estacionado de forma ostensiva próximo à entrada do circuito. Disse que o homicídio foi praticado próximo a este micro-ônibus, entretanto, durante a execução do crime, passava um trio elétrico, com som alto e uma multidão de pessoas que o acompanhava.

A PM afirmou também que cerca de 50 policiais militares estavam empenhados no serviço operacional do Miracaxi, na noite de sábado e estavam distribuídos por todo circuito.

Durante as duas noites o eficiente trabalho da PM garantiu aos foliões efetiva sensação de segurança afetada pontualmente por está única prática delitiva, o homicídio, fora isso não houve nenhum outro atendimento por parte da PM.

A PM disse que lamenta o primeiro homicídio da história do Miracaxi.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.