7 milhões precisam de ajuda para sobreviver no Iêmen, adverte ONU

Publicado em: 25 de Outubro de 2017
Foto Por: Khaled Abdullah/Reuters
Fonte: G1
O responsável da ONU para questões humanitárias, Mark Lowcock, em sua chegada no aeroporto de Sanaa, Iêmen

 

O principal responsável para questões humanitárias da ONU, Mark Lowcock, advertiu nesta quarta-feira (25) que a crise humanitária no Iêmen está se deteriorando e que sete milhões de pessoas necessitam de ajuda alimentar para sobreviver.

Lowcock também disse que milhões de habitantes do país carecem de serviços básicos como água e saneamento e "estão à beira da fome".

"Decidi vir ao Iêmen pela minha grande preocupação com a crise humanitária que segue deteriorando-se", afirmou Lowcock em sua chegada ao aeroporto da capital do país, Sana, que é controlada pelos rebeldes houthis.

O responsável máximo da ONU para questões humanitárias vai ficar três dias no Iêmen. Sua primeira escala foi em Aden, segunda maior cidade do país, situada no sul, e sede provisória do governo do presidente reconhecido internacionalmente, Abdo Rabu Mansur Hadi.

O Iêmen é palco de um conflito entre os houthis e as forças fiéis ao presidente Hadi, que desde 2015 conta com o respaldo da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.