Israel lança bombas na Faixa de Gaza; há feridos

Publicado em: 09 de Dezembro de 2017
Foto Por: Goran Tomasevic/ Reuters
Fonte: G1
Palestinos protestam nesta sexta-feira (8) em Ramallah

 

Israel lançou bombas contra alvos militantes na Faixa de Gaza nesta sexta-feira (8) e pelo menos 25 pessoas ficaram feridas, incluindo 6 crianças, segundo informou o Ministério de Saúde palestino.

O ógão divulgou também que um segundo palestino morreu nesta sexta pelos confrontos com israelenses.

A Defesa de Israel disse que realizou bombardeios aéreos em um campo de treinamento de militantes e em um depósito de armas do Hamas, em resposta aos foguetes que foram disparados mais cedo de Gaza contra cidades israelenses. Um dos foguetes foi interceptado pelo sistema de defesa de mísseis e o outro caiu na cidade de Sderot, causando danos a veículos, mas sem deixar feridos.

Testemunhas ouvidas pela agência Reuters disseram que a maioria dos feridos pelos bombardeios em Gaza são moradores de um prédio perto do campo de treinamento.

Confrontos entre palestinos e israelenses ocorridos mais cedo deixaram dois palestinos mortos. Chamada de Dia da Raiva, esta sexta marca o início dos três dias de protestos convocados pelo Hamas, movimento islâmico com atuação política e um braço armado, em protesto contra a decisão do governo Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e transferir a embaixada americana de Tel Aviv para lá. Manifestações ocorreram em diversos países, além de nos territórios palestinos.

O reconhecimento da cidade como capital é considerado polêmico, uma vez que os palestinos querem Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado, e a comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense sobre a cidade como um todo. Entenda.

O anúncio de Trump foi criticado por líderes internacionais e foi tema de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONUnesta sexta.

Controvérsia

O status de Jerusalém é considerado um dos maiores obstáculos nas negociações de paz entre Israel e os palestinos.

A cidade foi anexada por Israel durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967, que considera a cidade como capital indivisível. Na época, a decisão contrariou recomendações do Conselho de Segurança e da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Já os palestinos consideram Jerusalém Oriental, atualmente controlada por Israel, como a capital de seu futuro estado. Jerusalém é considerada um local sagrado pelos judeus, muçulmanos e cristãos.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.