Polícia canadense conclui que casal bilionário foi assassinado

Barry Sherman e sua mulher, Honey, foram encontrados mortos em sua mansão em Toronto em 15 de dezembro. Fundador de empresa farmacêutica Apotex tinha fortuna estimada em US$ 3,8 bilhões.

Publicado em: 27 de Janeiro de 2018
Foto Por: The Globe and Mail/Janice Pinto/via Reuters
Autor: G1
Fonte: G1
Honey e Barry Sherman, donos da Apotex, em foto de 2010

A polícia de Toronto determinou que as mortes do bilionário canadense Barry Sherman, fundador do grupo farmacêutico Apotex, e de sua mulher em meados de dezembro foram um duplo homicídio, informou a instituição nesta sexta-feira (26) ao fim da investigação.

Após seis semanas de pesquisas, "temos provas suficientes para determinar que se trata de uma investigação por duplo homicídio e que Barry e Honey Sherman eram de fato o alvo" deliberado, disse a inspetora Susan Gomes durante uma entrevista coletiva.

A responsável, no entanto, não mencionou se há um ou vários suspeitos. Os corpos do casal foram encontrados no dia 15 de dezembro em sua casa em Toronto.

Gomes confirmou que o casal foi estrangulado.

Barry, de 75 anos, e Honey Sherman, de 70, "foram encontrados mortos no subsolo onde fica a piscina, pendurado com um cinto para uma grade de proteção e em posição semi-sentada. Eles estavam usando suas roupas", declarou.

Os primeiros elementos da investigação, segundo indicou, permitiam afirmar que os Sherman "foram vistos vivos pela última vez na quarta-feira pela noite", ou seja, dois dias antes de descobrirem seus corpos.

Não se encontraram provas de roubo na luxuosa moradia do casal em Toronto.

Em 1974, Barry Sherman criou a Apotex, empresa especializada na fabricação de medicamentos genéricos e com mais de 11 mil funcionários no mundo. Ele era presidente do conselho administrativo da companhia.

A fortuna dos Sherman foi estimada em US$ 3,8 bilhões.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.