Corpo de Bombeiros e Ciopaer salvam quatro pescadores no logo de Palmas

Banzeiro teria provocado naufrágio e vítimas só sobreviveram por estarem usando colete salva-vidas

Publicado em: 07 de Setembro de 2019
Foto Por: Corpo de Bombeiros Militar
Autor: Luiz Henrique Machado/Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
Vítimas do naufrágio foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros Militar

Uma família de pescadores foi resgatada no início da tarde desta sexta-feira, 06, pelo Corpo de Bombeiros Militar, com apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer). Eram quatro vítimas numa embarcação do tipo voadeira, que naufragou e deixou todos boiando por cerca de uma hora. Dois integrantes eram idosos com 52 e 53 anos de idade.

Segundo o sargento Rafael Mollo, da Companhia Independente de Busca e Salvamento (CBIS), "a embarcação naufragou cerca de 400 metros distante do Clube da Ordem dos Advogados". "A sorte deles é que estavam todos com coletes salva-vidas, pois do contrário poderia ter havido afogamentos. Estavam bem cansados", disse Mollo.

O sargento explicou que o naufrágio foi provocado pelo banzeiro, a movimentação das águas com formação de ondas. "São todos pescadores, moradores de Palmas. E estão todos bem", relata Rafael Mollo.

Com as ondas na região no momento em que a embarcação afundou, os pescadores se separaram em duplas e chegaram a ficar mais de 150 metros de distância um grupo do outro. "Por sorte, uma das vítimas estava com celular a prova d´água e isso permitiu que ela chamasse o socorro e ainda passar a localização exata, facilitando a chegada da nossa equipe e também o Ciopaer, com o helicóptero", completou o sargento.

As vítimas são Leonardo Moreira dos Santos, Marcílio Michael Leite Dias, Milton Moreira Dias 53 anos, e Marlene Pereira Leite, 52 anos.

Os bombeiros militares integrantes da CIBS, são: sargento Raphael Mollo, sargento Costa e soldado Alef.

Pelo Ciopaer participaram o major Bruno, que é o comandante do Centro Integrado, o delegado Garrido, também co-piloto da aeronave, o subtenente Fernando e o sargento Robson, da Polícia Militar.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.