Criminoso tenta se passar por funcionário da Energisa no sudeste do Tocantins

Empresa informou que registrou um boletim de ocorrência após receber reclamações em três cidades. Caso é investigado por equipe especializada em Palmas.

Publicado em: 09 de Janeiro de 2019
Foto Por: Reprodução/Polícia Civil
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Criminoso se apresenta como representante do programa Luz Para Todos.

A Energisa Tocantins informou que procurou a Polícia Civil após receber relatos de que um criminoso está tentando se passar por funcionário da empresa na região sudeste do estado.

 

Os casos foram registrados em pelo menos três cidades: Almas, Pindorama e Conceição do Tocantins.

 

O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Praticados contra Concessionárias Prestadoras de Serviços Públicos (Derfae), em Palmas.

 

A força tarefa é comandada pelo delegado Elírio Putton. Ele informou que o homem se apresenta como integrante do programa Luz Para Todos, principalmente em propriedades rurais.

 

Segundo o delegado, o criminoso telefona para as vítimas e cobra valores para que o serviço de extensão de rede seja feito nos imóveis. Um suspeito já foi identificado, mas ainda não teve o nome revelado.

 

Em prints de conversas do golpista com as vítimas é possível ver que ele pede valores para custear as diárias da suposta equipe que realizaria o serviço nas cidades. O valor solicitado é de R$ 250 por dia.

 

A empresa disse que o procedimento é contrário ao padrão e a orientação é para que o cliente procure a polícia caso seja solicitado algum tipo de transferência, depósito ou pagamento em dinheiro.

 

Para comprovar a identidade de colaboradores da Energisa, o cliente deve entrar em contato por meio do Call Center 0800 721 3330 ou pelas redes sociais.

 

A Energisa destacou que não faz este tipo de cobrança sob nenhuma circunstância.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.