Falta de exame para testar audição de bebê deixa mãe preocupada; serviço estaria parado há quatro anos

Bebê prematuro passou pelo teste da orelhinha e precisa fazer um novo exame. Secretaria afirma que está fazendo licitação para comprar novo equipamento.

Publicado em: 30 de Agosto de 2019
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Bebês estão sem fazer teste da orelhinha

O teste da orelhinha voltou a ser feito no estado depois de ficar mais de seis meses sem ser ofertado. Porém, se for detectado com algum tipo de alteração na audição dos bebês é necessário fazer um exame mais específico chamado Berá. Aí começa um novo problema, pois esse outro procedimento não está sendo feito no estado desde 2015 porque a máquina está quebrada.

A Maria Elisa, irmã gêmea do Pedro Kauã, nasceu há 19 dias. Os dois são prematuros e fizeram todos os exames ainda no hospital. Só que no teste da orelhinha dela apresentou alteração.

"Foi detectada uma secreção. Daí ela pediu para a gente retornar e fazer dos dois bebês. Nós retornamos ontem e foi detectado novamente que tem uma secreção. Eles encaminharam para o centro de reabilitação para fazer um exame mais detalhado", contou Maria José Janaína Freitas.

Esse exame deveria ser feito no Centro Estadual Especializado em Reabilitação de Palmas, mas a maquina que detecta o grau de perda na audição do bebê está quebrada há 4 anos. "Tive a informação de que não está fazendo, tem quatro anos, porque o aparelho está quebrado", conta a mãe.

O exame é feito em uma clínica particular de Palmas. O médico Antônio de Deus explica a importância do teste para o tratamento e recuperação da audição do bebê. "Caso se confirme a perda auditiva, a gente inicia imediatamente o tratamento para ele. São estímulos sonoros, exercícios, coloca fone. A fonoaudióloga vai trabalhar a criança, que também é acompanhada pelo otorrino."

O doutor explica ainda que a população tem o direito de fazer o exame pelo Sistema Único de Saúde (SUS). "Esse é um exame imprescindível, mas tem que primeiro passar pelo otorrino, que vai detectar se tem ou não a perda auditiva para começar o tratamento"

Sem condições de pagar pelo procedimento na rede particular, a única alternativa da Maria José é esperar e contar com a sorte. "Dá uma revolta porque se for detectado agora eu vou conseguir salvar audição dela. Se não for detectado, o que eu vou fazer?", questionou.

Outro lado

A Secretaria Estadual de Saúde informou, em nota, que existe uma licitação para a compra do equipamento que realiza o exame auditivo, o Bera. Informou ainda, que está entrando em contato com os pacientes que não puderem ser avaliados pelo exame Bera para que façam outros exames e avaliações conforme a lista de espera.

A Secretaria não informou quando a licitação será concluída e o exame retomado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.