Falta de médicos prejudica plantões no pronto socorro e enfermaria do HGP

Problema ocorre há cinco meses e em junho houve um déficit de 2.154 horas. O Hospital Geral de Palmas é o maior do Tocantins e recebe pacientes de vários estados.

Publicado em: 11 de Julho de 2018
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Hospital Geral de Palmas é o maior do Tocantins

Um documento enviado pela coordenação do Hospital Geral de Palmas (HGP) à Secretaria de Estado da Saúde demonstra que faltam médicos plantonistas no pronto-socorro e na enfermaria do hospital. No mês de junho, por exemplo, dos 18 médicos que fazem parte do corpo clínico, apenas 11 estavam trabalhando. Com isso, houve um déficit de 2.154 horas. 

 

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou em nota que as informações sobre as escalas dos plantões são inverídicas.

A TV Anhanguera teve acesso ao documento com exclusividade. Segundo o memorando, no mês de junho foram 1.499 horas a serem cobertas nos consultórios do pronto socorro e outras 1.674 nas enfermarias, totalizando 3.162 horas. Porém, havia apenas 1.008 horas disponíveis para cobrir o atendimento.

Conforme o documento, a escala foi parcialmente coberta por plantões extraordinários. "O que se torna altamente vulnerável a afastamentos e períodos de férias, as quais se acumulam a cada ano", diz trecho.

Segundo responsáveis pela escala dos médicos, o problema tem ocorrido há cerca de cinco meses e a capacidade de atendimento caiu pela metade. Até maio deste ano eram dois médicos para cuidar de 200 pacientes. Agora, há apenas um médico para a mesma quantidade de pacientes.

Outro documento que a TV Anhanguera teve acesso mostra que faltam plantonistas para todo o mês de julho, durante todos os dias. Os horários estão sendo cobertos por plantões extraordinários.

"Solicito a contratação imediata de médicos para os serviços de urgência do HGP [...] ou que se possa aumentar a quantidade de horas extraordinárias que cada médico pode realizar, a fim de solucionar a falta de profissionais médicos", finaliza o documento assinado pelo coordenador clínico do HGP Humo Magalhães.

 

Outro lado

 

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que as informações sobre as escalas dos plantões são inverídicas. "A SES esclarece que a escala apresentada na reportagem não é a escala online regulamentada pela pasta e todos os pacientes estão com sua assistência e evolução prescrita por profissionais habilitados”, diz nota enviada.

O estado afirmou que existem profissionais de plantão presencial 24 horas por dia, todos os dias da semana. Informou ainda que o hospital conta com médicos clínicos com escalas que cobrem 24 horas por dia os seguintes setores: sala de emergência, consultórios do Pronto Socorro, enfermaria clínica, enfermaria de tomada de decisão e enfermaria de internação rápida.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.