Motociclista sofre acidente na porta do Samu e socorristas mandam testemunha ligar no 192; vídeo

Acidente aconteceu na avenida Teotônio Segurado, na região sul de Palmas. Diretor do Samu afirma que o procedimento está correto.

Publicado em: 31 de Agosto de 2019
Foto Por: Divulgação
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Motociclista bateu na traseira de ônibus coletivo

Um motociclista ficou ferido após bater na traseira de um ônibus na manhã desta sexta-feira (30) na avenida Teotônio Segurado, em Palmas. O acidente aconteceu ao lado do prédio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e mesmo assim a vítima demorou a ser socorrida. Um jovem que estava no local fez um vídeo mostrando a demora e afirmou que os socorristas estavam recusando o atendimento. 

 

"O cara sofreu um acidente, colisão atrás do ônibus, e ele está próximo do Samu. O Samu está aqui próximo, está ali atrás. Eu fui lá avisar o pessoal e eles disseram que tem que ligar, mas eu ligo no telefone e tá só ocupado, o 192. Olha lá, o pessoal do Samu tá só assistindo [sic]. Falei para todos os funcionários e disseram que tem que fazer chamado. Enquanto isso, o cara tá aqui sem socorro e não é atendido", disse o telespectador Fernando da Silva.

 

Segundo o jovem, os profissionais do Samu só foram atender a vítima depois que ele começou a gravar o vídeo.

 

O motociclista foi atendido pela unidade de suporte básico e foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte sem nenhuma fratura aparente. O quadro de saúde dele é estável.

 

Outro lado

 

O diretor técnico do Samu, Luciano Lopes, conversou com a reportagem da TV Anhanguera e afirmou que não houve uma recusa por parte dos socorristas. "O protocolo operacional do serviço tem o fluxo iniciando com o acionamento do 192, onde é feita uma coleta de dados do solicitante e do paciente. Onde você faz um cadastro também do local da ocorrência."

 

Segundo o diretor, o acionamento do Samu pelo telefone 192 é um protocolo operacional determinado pelo Ministério da Saúde que precisa ser seguido mesmo se a situação for gravíssima.

 

"Precisa de todo protocolo. Lembrando que o intuito é minimizar o sofrimento do paciente, mas é necessário sim a coleta de dados esse acionamento do 192, até para fins jurídicos, porque esses dados são coletados e armazenados", disse.

 

O médico afirma que o protocolo otimiza o tempo de resposta do Samu. "Se você encaminha uma ambulância só por informações de terceiros, sem uma coleta eficaz de dados do doente você pode atrasar o atendimento. O médico regulador poderá fazer orientações por telefone e minimizar os agravos", afirmou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.