Secretário diz que é preciso acabar com preconceito e agressões às minorias e lamenta morte de Dona Raimunda

Publicado em: 08 de Novembro de 2018
Foto Por: Divulgação
Autor: Tom Lima – Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
No Congresso, secretário Heber Fidelis representou o Governo do Estado, na pessoa do governador Mauro Carlesse.

O secretário de estado da Cidadania e Justiça, Heber Fidelis, representou o Governo do Estado, na pessoa do governador Mauro Carlesse, na noite desta quarta-feira, 07, na abertura do VIII Congresso Internacional dos Direitos Humanos, em Palmas.

 

Sobre a pauta de discussão do evento, ele parabenizou a iniciativa e destacou que o estado tem avançado nas políticas em favor das pessoas vulneráveis, mas tem muito a fazer ainda em parceria com as instituições que defendem o tema.

 

Ele chama a atenção para a prática do racismo e agressões físicas e verbais contra as minorias, lembrando que é crime passível de punição.

 

O secretário também lamenta a morte da líder comunitária Raimunda Gomes da Silva, ocorrida na noite desta quarta-feira aos 78 anos, uma figura expressiva na luta pela valorização das mulheres, em especial das quebradeiras de coco no norte do Tocantins desde os anos 80, inclusive com indicação ao Prêmio Nobel da Paz.

 

"Perdemos um grande ser humano, uma grande mulher, um exemplo para o Tocantins e que contribuiu para tirar a região do Bico do Papagaio do abandono", descreveu.

 

A Casa dos Direitos Humanos, instituição ligada à Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), informa que recebeu com pesar a morte da líder, destacando-a como ícone no ativismo no que diz respeito à defesa dos direitos humanos das mulheres quebradeiras de coco.

 

"Que ela descanse em paz e seja luz, guiando-nos pelas trilhas e estradas de nossa caminhada", disse Sibele Biazotto, diretora de Direitos Humanos.

 

Congresso

O tema do VIII Congresso Internacional dos Direitos foi Construindo uma Sociedade para Todos, realizado no auditório do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), prestigiado por magistrados, autoridades, conferencistas e palestrantes do congresso, professores e acadêmicos. Mais de 1.000 pessoas estão inscritas para participar dos três dias de congresso, iniciado nesta quarta-feira, com encerramento na sexta-feira, 09.

 

Na abertura do evento, o diretor geral da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), desembargador Marco Villas Boas, enfatizou que a ideia do congresso internacional é unir pessoas, propiciar a vivência em torno de temas tão caros e necessários para todos os seres humanos. Já o desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, representando o presidente do TJ, desembargador Eurípedes Lamounier, disse que é fundamental garantir a essas pessoas não apenas os seus direitos legais, mas também garantir o sentimento de pertencimento à sociedade enquanto cidadão e ser humano. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.