Após liberar tráfego, Carlesse reafirma que interdição da ponte foi para “segurança do povo”

Publicado em: 18 de Junho de 2019
Foto Por: Esequias Araújo/Secom
Autor: Cleber Toledo
Fonte: Cleber Toledo
Governador Mauro Carlesse anuncia liberação da ponte em Porto Nacional

 

O governador Mauro Carlesse (DEM) esteve na Ponte de Porto Nacional nesta segunda-feira, 17, para anunciar a liberação do tráfego para carros pequenos. A decisão acontece após vistoria da equipe técnica da Agência Tocantinense de Transporte e Obras (Ageto).

 

Carlesse destacou a ação do governo para garantir a liberação da travessia, mas voltou a esclarecer a interdição. “Quando paralisamos a ponte a situação dela estava precária. Ela tinha perigos, não tinha controle quase nenhum. Precisava fazer esta manutenção. Nós fizemos a paralisação pensando na segurança do povo, da comunidade”, disse, reforçando que o tem afirmado desde a interdição da ponte em fevereiro.

 

Por outro lado, o governador alertou sobre os requisitos mínimos que permitem a passagem. “Nós fizemos os estudos, algumas manutenções que eram necessárias para poder liberar os automóveis, mas a ponte continua com os mesmos problemas que já tinha para carros pesados. A ponte está realmente condenada para carga pesada”, revelou.

 

Conforme a Ageto, o travessia está liberada apenas para veículos com até 2,2 metros, 3,5 toneladas. A velocidade máxima permitida para o trecho será de 60 quilômetros por hora. Mauro Carlesse já adiantou que deve flexibilizar um pouco mais as regras para permitir travessia de ambulâncias.

 

Por fim, o governador garantiu celeridade para a construção de nova travessia. “Com uma ponte desta travada, pode ter certeza que o comércio, a indústria, enfraquece. O mais rápido possível a gente já vai começar o nosso canteiro de obras da nova ponte”, comentou.
 

Entenda


A Ponte de Porto Nacional estava interditada desde o dia 7 de fevereiro por decisão do Palácio Araguaia. A medida foi adotada após inspeção identificar alguns problemas estruturais na estrutura.

 

Para “minimizar” os efeitos da interdição, o governo fez atracamento para as balsas. A princípio os motoristas de carros precisavam pagar R$ 21,50 para realizar a travessia, das carretas já eram cobrados R$ 250,75 ou R$ 326,25, dependendo do período.

 

Entretanto, o governo estadual fechou um valor fixo mensal de R$ 159.450,39 à Pipes para que, ao menos, os motoristas de veículos leves e caminhonetes não paguem pela travessia de balsa sobre o Rio Tocantins, em Porto Nacional. Paralelo a isto, o Executivo iniciou as reformas para garantir a retomada do tráfego, liberada nesta segunda-feira, 17.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.