Após ouvir empresários, Luana Ribeiro se compromete a paralisar PL do Procon para buscar consenso

Texto de autoria da deputada quer repassar 10% do valor da multa aplicada à empresa para o autor da denúncia

Publicado em: 08 de Junho de 2019
Foto Por: Divulgação/Ascom
Autor: Cleber Toledo
Fonte: Cleber Toledo
Luana Ribeiro ao lado do superintendente do Sebare, Moisés Gomes, e presidente da Acipa, Joseph Madeira [sentado]

Autora do Projeto de Lei que quer obrigar o Órgão de Proteção ao Direito do Consumidor do Tocantins (Procon) a repassar 10% do valor da multa aplicada à empresa para o autor da denúncia, a deputada estadual Luana Ribeiro (PSDB) conversou nesta sexta-feira, 7, com empresários sobre o texto. Ao CT, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), Joseph Madeira, havia revelado temor da criação de uma “indústria da denúncia”.

Na reunião denominada “Café com Empresários”, Luana Ribeiro ouviu as demandas da categoria e se comprometeu a parar o andamento do projeto e conversar com os empresários para chegar a um acordo que fique bom pra sociedade e comerciantes. “O que me preocupou foram os valores das multas que os empresários me relataram. Eu vou mergulhar nesse assunto”, adiantou a deputada. O texto ainda tramita na Assembleia Legislativa. 

“É necessário que sejamos justos com ambos [empresários e consumidores]. Os bons não podem pagar pelos maus”, ponderou ainda a deputada Luana Ribeiro.

Empresariado
Joseph Madeira ficou satisfeito com o compromisso de Luana Ribeiro. “Apesar deste mal estar que gerou inicialmente, eu já tinha certeza que ela seria sensível com classe empresarial”, disse o presidente da Acipa. O diretor da rede de supermercados Big, Cristiano de Melo, fez coro. “Ela vai congelar, vai ouvir os empresários, então foi muito importante a vinda dela. Tirou dúvidas e deixou todo mundo mais tranquilo”, completou.

Superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Moisés Gomes já disse não ter uma posição específica sobre o texto de Luana Ribeiro, mas questionou a atuação do Procon. “O Sebrae não tem opinião sobre o projeto em si. A nossa visão é que o Procon é um órgão pedagógico. Não existe para arrecadar, mas para direcionar as empresas para um padrão de atendimento que atenda o cliente”, comentou.

Entenda
Tramita na Assembleia Legislativa (AL) um Projeto de Lei (PL 172 de 2019) que quer obrigar o Órgão de Proteção ao Direito do Consumidor do Tocantins (Procon) a repassar 10% do valor da multa aplicada à empresa para o autor da denúncia.

Na justificativa, Luana Ribeiro defende que os consumidores se sentem “frustrados” e “desmotivados” para atuar como fiscais do consumo com a legislação atual. “Com a vigência desta Lei, todo consumidor que não ficar satisfeito com o bem ou serviço adquirido será induzido a formalizar queixa, uma vez que, ao final do processo será compensado, seja durante audiência de conciliação […] ou pelo recebimento de 10% do valor da multa”, argumentou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.