Em audiência pública em Tocantínia, Antonio Andrade defende finalização da TO-010

Publicado em: 11 de Junho de 2019
Foto Por: Joelma Cristina
Autor: Cleber Toledo
Fonte: Cleber Toledo
Presidente da Assembleia, deputado Antonio Andrade

Para ampliar o debate sobre a conclusão da rodovia TO-010, foi realizada em Tocantínia, a 86 km de Palmas, uma audiência pública nesta segunda-feira, 10. A construção da rodovia está paralisada, pois seu traçado passa por uma região de reserva indígena, onde existem diversas aldeias.

 

O presidente da Assembleia Legislativa do TO (ALTO), deputado Antonio Andrade (PHS), participou da audiência e em seu discurso falou sobre a importância da rodovia que liga Lajeado a Tocantínia, Pedro Afonso, Santa Maria, Itacajá, Recursolândia, Centenário e Rio Sono.

 

“A Assembleia está pronta para o debate. Não quero saber de quem é a culpa, queremos a solução. Se for da vontade da maioria a construção da rodovia, estaremos prontos para apoiar no que for preciso,” explicou o presidente.

 

Antonio Andrade lembrou que é obrigação dos deputados ouvir as demandas na população. Ele ainda citou o problema das obras paradas.

 

“Tenho conversado com governador, mostrado para ele a importância de acabar estas obras, o povo não pode ficar prejudicado porque a empresa judicializou a obra, vamos em busca de soluções e vamos acabar com esta judicialização. Precisamos levar este beneficio a comunidade”, finalizou o presidente.

 

O deputado Vilmar de Oliveira (SD) presidiu a audiência pública, que contou também com a participação da deputada Wanda de Monteiro (PSL) e do deputado Léo Barbosa (SD). Também participaram o prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino; o prefeito de Pedro Afonso e presidente da ATM, Jairo Mariano, e Eduardo Macedo, coordenador regional da Funai.

 

A participação da comunidade indígena Xerente e de moradores de Tocantínia foi bastante expressiva. (Da assessoria de imprensa)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.