Kátia Abreu relatará o Acordo de Livre-Comércio entre Mercosul e União Europeia na Comissão de Relações Exteriores do Senado

Acordo precisa passar pelo parlamento dos países que compõe os dois blocos

Publicado em: 04 de Julho de 2019
Foto Por: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Autor: Ascom
Fonte: Ascom
Senadora Kátia Abreu

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado (CRE) aprovou, nesta quarta-feira (03), o nome da senadora Kátia Abreu (PDT-TO) para ser a relatora do Acordo de Livre-Comércio entre Mercosul e União Europeia. O acordo foi firmado em Bruxelas, no último dia 28, e precisa passar pelo Parlamento de todos os países que integram os dois blocos. 



Em tratativas há duas décadas, o acordo poderá incrementar, em 15 anos, o Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB) em até U$ 125 bilhões, segundo dados do Ministério da Economia.  A senadora Kátia Abreu (PDT-TO), trabalhou intensamente enquanto ministra da Agricultura, ao lado do então ministro de Indústria e Comércio, Armando Monteiro, na retomada das negociações. Na época foram alcançadas 90% das garantias tarifárias exigidas pela União Europeia.



A principal preocupação da senadora Kátia Abreu, como representante da Agropecuária, é garantir a manutenção das conquistas integrais do setor.



"Não há nada mais importante neste momento que este acordo entre Brasil e União Europeia. Trabalhamos exaustivamente para renovar todas as propostas e atender as exigências do acordo. Atuarei com altivez e democracia, conversando com todos, para que o entre em vigor o mais rápido possível, garantindo benefícios aos países incluídos – diz Kátia.


O Senado deve promover, no próximo dia 16, audiência pública, requerida pelos senadores Kátia Abreu, Tasso Jereissati e Eliziane Gama, quando serão ouvidos os ministros de Agricultura e de Relações Exteriores, além de representantes de cadeias produtivas, para discutir os principais impactos do acordo.    

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.