Publicitário João Neto garante que foco da nova assessoria política não é eleitoral, mas a gestão

Publicado em: 18 de Junho de 2019
Foto Por: Zezinha Carvalho/Secom TO
Autor: Cleber Toledo
Fonte: Cleber Toledo
Assessor João Neto, que assumiu a nova pasta na sexta-feira

Novo assessor de Políticas de Governo Descentralizadas, João Neto, que deixou o comando da Secretaria Estadual de Comunicação (Secom), na sexta-feira, 14, assume a pasta com a missão de esmiuçar dados e sentimentos da população dos municípios com seus gestores.

 

Apesar de o trabalho estar começando um ano antes das convenções para as eleições de 2020, o assessor garantiu que o objetivo não é eleitoral, ainda que admita que o conhecimento das realidades municipais contribuirá para o governo definir sua postura nas disputas locais. João Neto participou do quadro “Entrevista a Distância” no início da tarde desta segunda-feira, 17, de um posto de gasolina, durante viagem para Araguaína.

 

“O foco não é eleitoral, mas o posicionamento do governo. Não queremos influenciar ou ter essa tendência partidária agora”, assegurou o assessor.

 

Ele explicou que, às vezes, para atender o grupo político, o governo pode tomar uma decisão contrária ao sentimento da maior parte da população. “Porque está ouvindo só o grupo político. Quando você escuta a sociedade toma uma decisão com o sentimento da maioria e tem argumentações técnicas para explicar ao grupo político porque está tomando aquela decisão”, ponderou João Neto.

 

Segundo ele, o trabalho iniciado já há 30 dias, apesar de ele ter assumido o cargo somente na sexta, vai fazer um diagnóstico de todos os 139 municípios tocantinenses, em levantamentos qualitativos e quantitativos, com o objetivo de passar ao governo informações técnicas com balizamento político para que o governador Mauro Carlesse (DEM) tome decisões.

 

“O momento é crucial, de posicionamentos e definições, então, precisamos mostrar o caminho para que o governador tenha informações seguras das necessidades dos municípios, do posicionamento político do cidadão com o seu gestor municipal”, explicou João Neto.

 

O assessor disse que busca para o governador “o fator realidade”, o “fator sentimento percebido” e o “fator do comportamento social de cada município”.

 

“Com essas informações em mãos, com os secretários envolvidos no processo político, partidário e que tenham um relacionamento com a Assembleia, nós teremos, com bases reais de informação, condições de negociar, argumentar, de contrapor e de tomar decisões”, assegurou.

 

Municipalismo


Conforme João Neto, a estratégia faz parte da política municipalista do governo Mauro Carlesse, e, para a execução dela, é preciso que o Palácio entenda se a sociedade local sabe o que seu gestor está fazendo.

 

“No municipalismo, eu vou te entregar o dinheiro e preciso saber se você sabe lidar com ele. Preciso entender se a sociedade que você está conduzindo sabe o que você está fazendo. Porque se o que você diz e o que você fala não condizem com que o você faz, pelo menos pela percepção social, tem alguma falha. E, se existe essa falha, não posso contribuir com o aumento dela. Eu preciso alinhar”, raciocinou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.