Doenças que vêm com as enchentes: sinais de alerta

Publicado em: 11 de Fevereiro de 2019
Autor: Ana Escobar, G1
Fonte: Bem Estar

As dramáticas cenas de pessoas desamparadas que perderam familiares ou seus bens em enchentes infelizmente viraram rotina no noticiário nacional nos meses de verão.

Ninguém escapa: crianças, idosos ou gestantes. Para muitas pessoas não sobra outra alternativa a não ser a de serem obrigados a ter contato íntimo com as águas imundas e contaminadas; seja para se locomoverem, seja para limpar a própria casa ou para ajudar alguém. Resultado: depois de um tempo, podem adoecer.

As águas das chuvas contaminam-se com esgoto e/ou com fezes de animais como ratos, cães ou gatos, por exemplo, que podem conter microrganismos causadores de doenças que podem ser fatais.

O grande problema é que algumas destas doenças, como a hepatite A, por exemplo, podem demorar mais de 30 a 45 dias para se manifestar.

Por isso, se alguém que teve contato com água suja da chuva apresentar um ou mais dos seguintes sinais e sintomas, deve procurar um médico:

Febre, que pode ser alta ou baixa, persistente e durar mais de 3 dias consecutivos, com cansaço, mal-estar, dores pelo corpo e principalmente dor de cabeça.

Vômitos, diarreia com ou sem sangue nas fezes, inapetência

Manchas vermelhas ou roxas pelo corpo

Sangramento de mucosas como gengiva ou nariz

Icterícia (pele amarelada)

Xixi escuro

Dor na panturrilha (batata da perna)

Rigidez do pescoço

Fiquem atentos. Não hesitem em procurar um médico se um ou mais de um destes sinais e sintomas aparecerem.

Importante: estejam com suas vacinas em dia. Lembrem-se que há vacinas para tétano, febre amarela e hepatite, que estão entre estas doenças que podem ser transmitidas pelas águas sujas das chuvas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.