Pula-pula: quais os cuidados tomar antes de deixar a criança brincar?

É difícil controlar as crianças na hora de brincar no pula-pula. Por isso, a pediatra e consultora do Bem Estar Ana Escobar deu algumas orientações.

Publicado em: 11 de Junho de 2019
Foto Por: G1
Autor: G1
Fonte: G1
Quedas são a principal causa de internação de crianças de zero a 14 anos no Brasil

Ele está presente em parques, casas de festas e às vezes até no quintal de casa: o pula-pula (ou cama elástica). Entretanto, apesar de parecer, esse brinquedo não é inofensivo e pode levar a uma série de problemas, como fraturas, lesões, contusões e outros traumas.

É difícil controlar as crianças na hora de brincar no pula-pula. Por isso, a pediatra e consultora do Bem Estar Ana Escobar deu algumas orientações:

  • O brinquedo não pode ficar lotado
  • Só deve entrar na cama elástica um número de crianças compatível com o tamanho do brinquedo
  • As crianças devem ser de idades similares

Diferenças de peso dos participantes, em combinação com habilidades motoras menos desenvolvidas, por exemplo, podem contribuir para o aumento de quedas, fraturas e luxações em crianças mais novas.

“É comum a criança que brinca na cama elástica ter entorse de tornozelo, fratura nos pés e nos punhos. Por isso, se a criança estiver se queixando de dor e inchaço, os pais precisam leva-la ao hospital”, explica a pediatra.

Apesar dos perigos, não é preciso banir o brinquedo, mas tomar alguns cuidados. Veja o que observar na cama elástica:

  1. O entorno da cama deve ser acolchoado
  2. A cama deve estar bem amarrada
  3. O piso deve ter proteção que amorteça a queda, como tapete EVA ou colchão
  4. As molas devem estar encapadas
  5. Não pode ter nenhum vão na rede
  6. É preciso ter um adulto supervisionando as crianças

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.