Vacinas salvam a vida de mais de 3 milhões de pessoas por ano, segundo a Organização Mundial de Saúde

Em janeiro, a OMS publicou uma lista com as 10 maiores ameaças à saúde global e no topo está a relutância ou recusa em tomar vacinas. Especialista responde dúvidas sobre vacinação.

Publicado em: 12 de Julho de 2019
Foto Por: Reprodução/TV Globo
Autor: Bem Estar
Fonte: Bem Estar
Existem dois tipos de vacina, a com vírus vivo e a com o morto.

Apesar da importância das vacinas na hora de imunizar as pessoas em diversas doenças, muita gente ainda insiste em não tomar. Segundo dado da Organização Mundial de Saúde, a OMS, as vacinas salvam a vida de 3 milhões de pessoas por anos.

 

Em janeiro, a OMS publicou uma lista com as dez maiores ameaças à saúde global. Ela inclui a dengue, o HIV e a poluição, mas no topo está a relutância ou recusa em tomar vacinas.

 

Tomar vacina é fundamental, mas muita gente ainda tem dúvidas e questiona se é preciso vacinas. O infectologista Edmilson Migoswski respondeu algumas perguntas no Bem Estar, neste sábado (6).

 

Bruno Borges, músico, quer saber se vacina realmente faz mal ou é fakenews. “Essas notícias falsas são um desserviço. Tudo o que acontece depois da vacina fica na conta dela. Muita coisa não é consequência, é coincidência. A vacina é extremamente segura, eficaz e deve ser sim indicada”, responde o infectologista.

 

Existem dois tipos de vacina, a com vírus vivo e a com o morto. A primeira contém uma versão enfraquecida do vírus, portanto não causa a doença em pessoas com o sistema imunológico saudável. Como é feita com um vírus vivo, é a que consegue causar uma infecção "mais natural", o que produz uma resposta melhor do nosso sistema de defesa.

 

Já a segunda é composta de vírus inteiro que não está vivo. Como eles não são capazes de se multiplicar, essas vacinas não são capazes de produzirem doenças.

 

Luciana Rodrigues, vendedora, perguntou se a vacina do posto público é tão eficaz quanto a de uma clínica particular. “É tão eficaz quanto, mas no setor privado tem mais opções de vacina do que as oferecidas pelo SUS. Tem que fazer o mínimo que o posto oferece e, se puder e ter condições financeiras, complementar no setor privado”, explica Edmilson.

 

Outra dúvida que surgiu foi sobre a vacina da gripe. O advogado Nelson Silva dos Santos Jr. perguntou quais tipos de vírus que a vacina combate, já que só ouviu falar que são três tipos. “No SUS a vacina da gripe combate três vírus, já no setor privado tem a que combate três e outra que combate quatro, mas o mais importante é tomar a vacina”, diz o médico.

 

SARAMPO

 

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa, mas que pode ser prevenida pela vacina.

 

A Sonia Aparecida dos Santos, auxiliar de limpeza, teve a doença quando pequena e quer saber se pode ou não tomar a vacina. “Não tem problema tomar a vacina mesmo tendo tido a doença. Hoje, a vacina de sarampo também protege contra caxumba e rubéola, então tomando uma já protege contra as três doenças”, explica o infectologista.

 

Outra dúvida que aparece bastante é sobre reação a vacina. O doutor Edmilson diz que pode ter, mas é menos frequente do que a doença, que mata mais de um milhão de pessoas.

 

FEBRE AMARELA

 

A vacina contra febre amarela é uma das mais procuradas nos sites de busca na internet. Os assuntos mais buscados são: vacina febre amarela efeito colateral, vacina febre amarela contraindicação, reação da vacina febre amarela, vacina febre amarela a partir de qual idade, quem pode tomar vacina da gripe e quem deve topar vacina sarampo.

 

Ela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa.

 

Lucila Maria da Conceição, auxiliar de limpeza, ficou com medo de tomar a vacina contra a febre amarela e ter reação. O doutor Edmilson explica que pode ter uma reação adversa, mas que é extremamente incomum. “Se a pessoa mora em um lugar que tenha risco de pegar a doença, como no Brasil, tem que tomar. A reação é menor do que ter a doença”, completa.

 

A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da febre amarela. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta vacina contra febre amarela para a população. Desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

HERPES-ZÓSTER

 

Existem doenças que quando começam podem ser confundidas com uma reação alérgica ou uma picada. É o caso da herpes-zóster, que causa muita dor.

 

A vacina contra a herpes-zóster existe, mas está disponível apenas no setor privado. Ela é segura e eficaz, mas é indicada apenas para quem tem mais de 50 anos.

 

A vacinação é muito importante. Por isso, confira a sua carteirinha, veja se está faltando alguma e se proteja. Vacinar salva vidas!

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.