Acusado de tentar matar ex-sogro que defendia filha é condenado a 14 anos de prisão

Manoel Rocha Campos teria esfaqueado o homem ao descobrir que ex-mulher estava na casa dele após o fim do relacionamento. Vítima foi socorrida em estado grave, mas acabou sobrevivendo ao ataque.

Publicado em: 11 de Julho de 2019
Foto Por: Bianca Zanella/Divulgação
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Crime aconteceu em Arraias, no sudeste do Tocantins

A Justiça condenou Manoel Rocha Campos a 14 anos e cinco meses de prisão em Arraias, no sul do Tocantins.

 

Ele é acusado de tentar matar o ex-sogro ao descobrir que a ex-mulher tinha fugido para a casa dele após o fim do relacionamento. A decisão de condená-lo foi em júri popular e o tamanho da sentença foi definida pelo juiz Márcio Ricardo Ferreira Machado.

 

Além do período de prisão, Campos também terá que indenizar a família da vítima em R$ 30 mil. Ele está preso na Cadeia Pública de Arraias.

 

Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual, o acusado tinha um relacionamento abusivo com a filha da vítima, com vários episódios registrados de agressão.

 

Os conflitos entre Manoel Rocha e o pai da mulher começaram quando ele começou a defender a filha dos ataques. Ele teria inclusive feito ameaças antes da tentativa de homicídio.

 

O caso foi em 21 junho de 2018. No dia do crime, Manoel Rocha teria invadido a casa do ex-sogro, agarrado o pescoço dele, aplicado um golpe com o joelho e esfaqueado o tórax da vítima com um canivete.

 

O homem foi socorrido desacordado e em estado grave, mas acabou sobrevivendo após ser atendido em hospitais de Arraias e Palmas.

 

A Justiça entendeu que Manoel Rocha agiu por motivo torpe e utilizou-se de meio que impossibilitou a defesa da vítima. Os dois agravantes foram levados em conta na sentença. Ainda cabe recurso.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.