Aprovados no concurso da Defesa Social estão há 3 meses desempregados esperando posse

Os selecionados se revezam para acampar em frente a Secretaria de Cidadania e Justiça reivindicando nomeação. Eles relatam dificuldade para conseguir emprego enquanto esperam ser chamados.

Publicado em: 18 de Maio de 2019
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Elielton Franciso está desempregado à espera da nomeação

Aprovados no concurso de Defesa Social e Segurança Penitenciária do Tocantins, reclamam da demora na nomeação. Eles terminaram o curso de formação há três meses, mas ainda não foram chamados para tomar posse. Ao todo, foram selecionadas 126 pessoas e alguns abandonaram os empregos que tinham para fazer o curso, que era em período integral. Agora, estão sem conseguir colocações no mercado de trabalho.

"E nós não conseguimos nem emprego porque quando o empresário vai pesquisar o nosso nome, no sistema consta que você é um candidato a tomar posse em um concurso público. E eles não querem ter despesa com funcionário que provavelmente daqui um mês, dois meses, vai tomar posse. E pra ele fica caro", comentou Eduardo Fontoura. Na casa dele, somente a esposa está trabalhando.

Representantes da comissão dos aprovados formaram grupos e agora se revezam para acampar durante o dia em frente a Secretaria de Cidadania e Justiça em busca de respostas. A iniciativa começou no dia 1º de maio.

"Nós tentamos conversar, buscar diálogo, busca conseguir ter visibilidade, para que seja realizado o mais rápido possível a nomeação e posse. A gente quer cumprir a nossa função, que é contribuir. E ao mesmo tempo a gente necessita da remuneração, ajudar nossas famílias", comentou a aprovada no concurso, Taiz Oliveira.

O Elielton Francisco está desempregado, vivendo na mesma situação de Eduardo. Há cinco anos ele decidiu prestar o concurso do Sistema Socioeducativo e ficou no cadastro reserva. Francisco foi convocado para fazer o curso de formação em fevereiro deste ano.

"Eu trabalhava em uma empresa há oito anos e tive que pedir a conta, por causa do curso de formação que foi em tempo integral. De oito horas da manhã a dez da noite, de domingo a domingo. Não tinha como eu continuar no serviço e fazer o curso", comentou.

Em nota, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça informou que está em articulação com as demais pastas do governo do Tocantins para tornar possível a inclusão orçamentária, que possibilitará a nomeação dos 126 aprovados em cadastro reserva. Disse ainda, que trabalha para dar posse aos aprovados e que mantém diálogo com a comissão dos aprovados no concurso.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.