Coordenador do DSEI-TO se posiciona sobre queixa da PIPES

Publicado em: 24 de Fevereiro de 2018
Foto Por: Divulgação
Autor: Leal Junior
Fonte: Portal LJ
Marcelo Lucena

Sobre um eventual atraso de pagamento à empresa PIPES em decorrência de travessias feitas na balsa entre Miracema e Tocantínia o Coordenador Distrital de Saúde Indígena do Tocantins Marcelo Lucena  deu sua versão sobre o assunto que foi ventilado em uma reunião realizada na prefeitura municipal de Miracema do Tocantins entre a empresa, lideranças políticas e empresários dos dois municípios.

 

Segundo Marcelo Lucena a empresa terceirizada de transporte Poty, é a responsável pelas passagens, entretanto, a mesma não estava pagando o que gerou uma notificação da PIPES ao DSEI-TO relatando o débito.

 

" O débito  vem desde a gestão anterior, mas, já contactei com a Poty e eles irão acertar com a PIPES imediatamente".

 

Lucena disse ainda que aproveitou para recomendar que esses atrasos não ocorram porque existe um contrato e o Governo Federal ressarce a terceirizada.

 

"Isso só está ocorrendo porque eu não tinha conhecimento, além do que não somos nós que pagamos e sim a empresa terceirizada,mas, já cobramos e tudo será normalizado".

 

 

O Coordenador informou ainda que foi feito por ele próprio um contato com o proprietário da PIPES empresário Pedro Iran informando que  tais fatos não se repetirão onde "sugeri ainda que diminua as isenções para que a PIPEs não saia prejudicada".

 

Marcelo encerrou afirmando que a união de todos vai resolver o problema, ratificando que tudo é feito por Brasília,mas, que ficará atento, pois, a balsa representa um serviço essencial.

 

"Quero contribuir para que tudo fique bem, afinal, também sou de Tocantínia e quero o bem estar daquela comunidade".

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.