Corpos de família carbonizada em acidente são velados em Aparecida do Rio Negro

O carro em que eles estavam bateu em uma caminhonete e explodiu. Os ocupantes do outro veículo não estavam no local quando a polícia chegou e ainda não foram encontrados.

Publicado em: 11 de Janeiro de 2019
Foto Por: Arquivo Pessoal
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Casal morreu carbonizado após acidente na TO-020

Os corpos de Maria das Neves Alves de Araújo Silva, 62 anos, do marido dela Raimundo Pinheiro da Silva, 61 anos, e da mãe dela Joana Alves da Silva, 86 anos, foram liberados do Instituto Médico Legal de Palmas.

 

 Eles morreram carbonizados em um acidente na TO-020, entre Aparecida do Rio Negro e Novo Acordo, na noite desta quarta-feira (9). O carro em que eles estavam bate de frente com uma caminhonete e explodiu.

 

Um dos filhos do casal informou que eles serão velados na casa da família em Aparecida do Rio Negro e devem ser enterrados no cemitério da cidade, às 18h desta quinta-feira (10).

 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, não foi possível identificar quais eram os restos mortais de cada um deles, pois o fogo foi tão intenso que até os ossos foram queimados.

 

Por isso os médicos legistas coletaram material genético para confronto.

 

Todos os mortos estavam no carro de passeio que tinha placa de Palmas. As vítimas estariam indo para uma chácara na região.

 

Dentro do carro havia uma quarta ossada que seria de um animal, possivelmente um cachorro. Eles moravam em Aparecida do Rio Negro e o prefeito decretou luto oficial.

 

Os ocupantes da caminhonete não foram localizados e a polícia acredita que o motorista pode ter fugido do local.

 

As causas da batida ainda são desconhecidas, mas a pista estava molhada por causa da forte chuva na região. Os veículos retirados da pista vão passar por perícia em Palmas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.