Detendo que participava de projeto de remição perde benefício por fumar maconha no local de trabalho

Publicado em: 19 de Março de 2019
Foto Por: Divulga Seciju
Autor: Willian Borges – Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
Material apreendido/Horta da cadeia de Araguatins

O reeducando Estênio Gomes da Silva, que cumpre pena na Cadeia Pública de Araguatins,  selecionado juntamente com outros sete apenados para participar de um projeto de plantio de hortaliças desenvolvido pela Secretaria de Estado de Cidadania e Justiça (Seciju) juntamente com o Instituto Federal do Tocantins (IFTO) desde fevereiro de 2018, foi flagrado na última sexta-feira fumando maconha no espaço da horta e nesta segunda-feira, 18, perdeu o benefício de participação do projeto de ressocialização por quebra de confiança.

 

Após os reeducando ser flagrado pelos agentes do plantão com um cigarro de maconha, ele foi conduzido para a delegacia da cidade para registro de ocorrência. Nesta segunda, a direção da Cadeia instaurou um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar a conduta do apenado e até que o processo seja encerrado, ele está suspenso do projeto. Após conclusão, dependendo do resultado do PAD, o reeducando será afastado definitivamente da horta.

 

"Ficamos muito triste com essa situação, pois criamos um espaço para dar ao reeducando a oportunidade de ocupar a cabeça, remir a pena, ter maior liberdade de locomoção e mesmo com tudo isso o detento comete um ato de quebra de confiança como esse, aproveitar-se do contato com pessoas externas ao estabelecimento para adquirir drogas", lamentou o chefe de segurança da Cadeia, Adenilson Barros.

 

O projeto

 

Com projeto, os reeducandos desenvolvem habilidades, se capacitam para o manejo de hortaliças, tem uma atividade laboral, podem remir a pena por trabalho e socializam com outros reeducandos e servidores do sistema.

 

Além do que, melhoram a qualidade da alimentação, pois grande parte das hortaliças, verduras e legumes são consumidas na própria unidade e o excedente vendido à comunidade de Araguatins na própria cadeia ou na feira da cidade.

 

O chefe de segurança explicou que uma parte do dinheiro arrecadado com as vendas é destinada para a manutenção do projeto para a compra de insumos, sementes e equipamentos; a outra parte é revestida em melhorias estruturais da cadeia de forma a proporcionar mais conforto aos reeducandos e maior segurança para a sociedade.

 

Os projetos de ressocialização visam dar oportunidade para os apenados melhorarem a condição de vida no cárcere e se reerguerem, a grande maioria aproveitam essa chance e agem como o reeducando R. J. R. F. que trabalha há sente meses na horta da Cadeia de Araguatins e vê no trabalho uma forma de recomeço.

 

"Quando eu vim para a horta, imaginava que era somente uma forma de facilitar o cumprimento da pena, mas estou aprendendo muito e nesse aprendizado eu percebi que uma horta é capaz de sustentar uma família e quando terminar de cumprir minha pena acredito que vou trabalhar com hortaliças para sustentar minha esposa e meus três filhos", disse.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.