Empresário diz que vice ofereceu R$ 6 milhões para que ele assumisse atentado contra prefeito

Valor teria sido combinado antes do ataque e seria uma garantia de que Letim Leitão estaria blindado caso a polícia chegasse ao atirador. Investigadores disseram que pagamento seria feito com dinheiro público.

Publicado em: 12 de Janeiro de 2019
Foto Por: Divulgação/Polícia Civil
Autor: TV Anhanguera
Fonte: G1 Tocantins
O empresário Paulo Henrique Sousa é investigado por intermediar o crime

 

O empresário Paulo Henrique Sousa Costa disse durante o depoimento à Polícia Civil que o vice-prefeito de Novo Acordo, Letim Leitão (PR), ofereceu a ele R$ 6 milhões para que ele assumisse o atentado contra o prefeito da cidade.

 

O valor teria sido combinado antes do ataque e seria uma garantia de que o político estaria protegido caso o atirador fosse preso no dia do crime.

 

Os investigadores acreditam que o valor seria pago com dinheiro público, através de notas promissórias quando Letim Leitão assumisse o governo da cidade. O titular, Elson Aguiar (MDB), sobreviveu ao ataque e está fora de perigo.

 

Tanto o vice-prefeito como o empresário estão presos. Além dos dois, também foi detido Gustavo Araújo da Silva, que seria o autor dos disparos.

 

O plano

 

O crime teria sido motivado por desentendimentos entre o prefeito e o vice na divisão de propinas.

 

Elson Aguiar teria deixado de repassar a parte de Letim Leitão em um desvio de R$ 800 mil. O plano para matá-lo teria sido criado ainda antes do Natal.

 

A polícia diz que a primeira investida não deu resultado porque os pistoleiros não conseguiram chegar a cidade.

 

O vice-prefeito teria então contratado um novo executor, que seria Gustavo Araújo. Para localizar Araújo, ele teria recebido a ajuda de Paulo Henrique.

 

O crime

 

A família de Elson Lino de Aguiar informou que o ele estava sozinho dentro de casa quando foi alvo do atentado. O imóvel não é murado e a porta da sala estava destrancada.

 

O atirador entrou e disparou contra o prefeito dentro do quarto dele. A vítima conseguiu chegar até a a área externa da residência, onde pediu socorro.

 

Elson Aguiar levou três tiros, inclusive um na cabeça. Ele sobreviveu e está internado no Hospital Geral de Palmas. Quando tiver alta, deve ser interrogado sobre a suposta propina.

 

Outro lado

 

O vice-prefeito negou qualquer participação no crime na saída da delegacia. "Sou inocente. não mandei matar ninguém. Dotozin é meu amigo", afirmou Leitão. O G1 ainda tenta contato com a defesa dele para comentar as acusações do empresário.

 

Já o advogado do prefeito Elson Aguiar repudiou a acusação de envolvimento em um esquema de propina na cidade.

 

"O atual prefeito jamais permitiu qualquer tipo de ato ilícito durante o seu mandato, inclusive, nunca permitiu que se efetivasse qualquer pagamento a fornecedor sem processo licitatório devidamente formalizado", diz nota enviada pela defesa.

 

Os outros dois investigados não quiseram falar com a imprensa.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.