Moradores denunciam descarte irregular de cães mortos em lixão de Paraíso do Tocantins

Homem afirma que em dois dias encontrou 11 animais mortos no lixão. Município afirma que vai acionar a polícia para investigar os casos.

Publicado em: 19 de Junho de 2019
Foto Por: Divulgação
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Animais mortos foram encontrados por moradores no lixão

Pelo menos 11 cachorros mortos foram descartados no lixão de Paraíso do Tocantins, na região central do estado, nos últimos dois dias. A denúncia foi feita por moradores que passaram pelo local e tiraram fotos dos restos dos animais.

Um morador contou que encontrou oito animais mortos no local, na manhã de terça-feira (18). Ao retornar ao lixão, nesta quarta-feira (19), ele disse que localizou mais três cães. O homem pediu para não ser identificado.

O homem cobra ainda investigação sobre os animais mortos porque havia luvas descartáveis perto das carcaças.

"Outra coisa que me entristece e vê a falta de controle que o poder público tem sobre o lixão da cidade, neste local deveria haver valas para depositar os corpos de animais mortos e também ter vigilantes na área para não deixar os resíduos sólidos e restos de animais serem descartados em qualquer lugar", afirma.

A Polícia Civil informou ao G1 que até o momento não houve nenhum registro oficial do fato.

A Prefeitura de Paraíso do Tocantins informou que sofre com a falta de um aterro sanitário devido os recursos destinados ao investimento não terem sido aplicados corretamente no passado. Afirmou ainda que está em trâmites a assinatura de um Plano de Resíduos Sólidos, que deve ter início no mês de setembro.

Em relação aos animais mortos, o município disse que "lamenta a crueldade e está encaminhando o caso às autoridades policiais, para que se investigue o caso."

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.