Operação da Polícia Civil cumpre mandados de prisão contra suspeitos de tráfico de drogas

Entre as modalidades praticadas pelos criminosos está o 'Disck Drogas'. Ação está sendo realizada em Paraíso do Tocantins e foi chamada de Téssera.

Publicado em: 20 de Agosto de 2019
Foto Por: Polícia Civil/Divulgação
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Policiais cumprindo mandados em Paraíso do Tocantins

Uma operação contra o tráfico de drogas foi iniciada na manhã desta terça-feira (20) em Paraíso do Tocantins, na região sul do estado. São 13 mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento com a criminalidade, além de ordens de busca e apreensão. A ação policial foi chamada de Téssera. Cinco pessoas foram presas até às 8h.

 

As investigações começaram em março de 2019, após um homem ser preso por tráfico de drogas na cidade. Depois disso, a Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic) de Paraíso do Tocantins descobriu que o suspeito tinha um papel importante no comércio ilegal de entorpecentes na cidade.

 

Os policiais apuraram que o suspeito estava ligado a quatro espécies de relações criminosas envolvendo o tráfico de drogas. A primeira delas era a realizada diretamente com usuários da região, que o acionavam via telefone por meio do chamado Disck Drogas.

 

Uma segunda modalidade de relacionamento era mantida pelo suspeito com outros traficantes da cidade. Os criminosos prestavam ajuda mútua, compartilhando informações sobre fornecedores que tinham melhor preço. Além disso, emprestavam drogas uns aos outros quando a substância acabava antes da reposição programada.

 

A Polícia Civil também verificou que o suspeito era responsável por abastecer traficantes menores que atuavam na região. Entre eles estão alvos da operação iniciada na manhã desta terça-feira (20).

 

Por fim, a operação teve também o objetivo de prender cinco pessoas que são consideradas fornecedoras de drogas para os traficantes da região de Paraíso. Dois são considerados os principais traficantes da região do Vale do Araguaia.

 

A Polícia Civil concluiu que o grupo realizava quatro atividades distintas na comercialização de entorpecentes na cidade, o que deu o nome da operação, batizada de Tessera, que seria a grafia do numeral quatro em grego.

 

Participaram da operação cerca de 50 policiais civis. Entre eles, integrantes do Grupo de Operações Táticas Especiais – GOTE e da unidade do Centro Integrado de Operações Aéreas - CIOPAER.

 

Os cinco suspeitos presos foram encaminhados para a Casa de Prisão Provisória de Paraíso e para a unidade prisional feminina de Palmas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.