Polícia Civil faz operação contra suspeitos de tortura e assassinato no Tocantins

Policiais cumprem três mandados de prisão, uma internação e 13 de busca e apreensão. Ação é contra facção criminosa paulista que atua em todo o país.

Publicado em: 11 de Julho de 2019
Foto Por: Dennis Tavares/Governo do Tocantins
Autor: G1Tocantins
Fonte: G1Tocantins
Suspeitos de tortura e assassinato em Divinópolis do Tocantins foram presos

A Polícia Civil do Tocantins realiza na manhã desta quinta-feira (11) uma operação contra suspeitos de tortura e assassinato na região de Divinópolis do Tocantins. Os agentes cumprem três mandados de prisão, um de internação compulsória de um menor de idade e 13 de busca na cidade. A ação é contra uma facção criminosa paulista que atua em todo o país.

A investigação começou após um assassinato no dia 7 de junho. A vítima foi torturada por 12 horas antes de ter a cabeça decepada pelos criminosos. Os mandados de prisão são contra homens que teriam sequestrado a vítima e participado do assassinato. Todos os alvos já foram capturados.

Policiais montaram barreiras nas entradas da cidade e o helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) sobrevoa a região. Ainda não há informações de qual era a relação da vítima com os criminosos.

A operação foi batizada de 'Place de Grève'. Ela ganhou este nome em homenagem ao espaço público francês onde foi utilizada a guilhotina pela primeira vez durante a Revolução Francesa.

O assassinato

O caso foi no dia 7 de junho em Divinópolis do Tocantins. Um jovem de 20 anos foi encontrado decapitado dentro de uma casa em construção e, além das marcas de agressão, a vítima teve as mãos e os pés amarrados.

O assassinato foi no setor Sol Nascente e a Polícia Militar informou que encontrou a cabeça do jovem sobre a barriga dele. O pai da vítima informou que ele era usuário de drogas e tinha saído de casa de bicicleta por volta do meio-dia.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.