Polícia indicia pai e mãe de adolescente que pediu socorro pelas redes sociais após ser estuprada

Investigação apontou que ela sabia dos estupros e pedia para que a filha 'tivesse paciência'. Polícia acredita que os abusos ocorriam há quatro anos.

Publicado em: 17 de Julho de 2019
Foto Por: Reprodução
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Prints mostram parte da conversa entre a vítima e o amigo

A Polícia Civil de Araguaína indiciou nesta terça-feira (16) o pai e a mãe de uma adolescente de 13 anos que pediu socorro a uma amigo pelas redes sociais após ser estuprada em Nova Olinda, no norte do estado. A investigação aponta que o autor do estupro foi o pai, de 44 anos, e que a mãe, de 37 anos, sabia de tudo.

 

De acordo com o inquérito, os abusos começaram em 2015 e seguiram ocorrendo durante os últimos quatro anos. A mãe teria pedido que a filha 'tivesse paciência' e ameaçava bater nos filhos caso eles relatassem a situação a alguém. O comando da investigação foi do delegado Luís Gonzaga da Silva Neto.

 

Na noite em que o pai foi preso, a jovem teria sido estuprada por duas vezes. Na conversa com o amigo, ela relatou que o agressor estava armado e que as partes íntimas estavam sangrando. Quando a polícia chegou ao local, o suspeito estava com o short rasgado e as partes íntimas a mostra. O homem foi detido e segue preso na Casa de Prisão Provisória de Araguaína.

 

Na época, a mãe estava em um hospital porque tinha dado à luz recentemente. Ela foi indiciada e vai responder em liberdade. A vítima foi tirada do convívio da família e está sob responsabilidade do Conselho Tutelar.

 

A Polícia Civil informou que se forem condenados, o homem pode pegar uma pena de 30 anos de prisão e a mulher de 21 anos.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.