Prefeito tem bens bloqueados após atrasar repasses para previdência municipal

Altamirando Zequinha, prefeito de Taguatinga, pode até ser afastado do cargo se não regularizar os repasses. Dívida com previdência do município é de R$ 203 mil

Publicado em: 11 de Julho de 2018
Foto Por: PV/Divulgação
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Miranda Taguatinga (PV) foi eleito em 2016 em uma eleição suplementar

A Justiça determinou bloqueio de R$ 134 mil em bens do atual prefeito de Taguatinga, Altamirando Zequinha Gonçalves Taguatinga (PV). Segundo a decisão judicial, ele deixou de repassar mais de R$ 203 mil de contribuições previdenciárias dos servidores municipais entre 2017 e 2018.

O prefeito assumiu a gestão da Prefeitura de Taguatinga em 2017, após uma eleição suplementar. A eleição fora de época foi convocada após o candidato eleito em outubro de 2016 ter as contas rejeitadas pelo Tribunal Superior Eleitoral e o registro de candidatura dele ser cassado.

Conforme consta na decisão, o prefeito deixou de repassar R$ 167 mil ao instituto de previdência do município, relativo à parte patronal da contribuição previdenciária e R$ 2.815,45 dos valores descontados dos servidores. Além disso, o município deve R$ 32 mil devido a juros pelo atraso nos repasses.

A decisão do juiz Gerson Fernandes Azevedo também determinou que o prefeito regularize os repasses sob pena de ser afastado do cargo.

G1 entrou em contato com a prefeitura e aguarda um posicionamento do prefeito Altamirando Zequinha.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.