Unidades prisionais do Tocantins investem em preparatórios para Encceja PPL 2019

Unidades realizam aulões específicos e disponibilizam apostilas preparatórias para os reeducandos que participarão do exame.

Publicado em: 12 de Setembro de 2019
Foto Por: Pedro Ícaro
Autor: Vitória Soares – Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
Unidades prisionais estão realizando preparação intensificada para Encceja.

A educação é uma importante ferramenta de ressocialização que proporciona uma nova oportunidade para as pessoas privadas de liberdade. Pensando nisso, unidades prisionais do Tocantins estão investindo com maior intensidade na preparação dos reeducandos, através de aulas e apostilas, para a realização das provas do Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos Privados de Liberdade (Encceja PPL) que serão aplicadas nos dias 8 e 9 de outubro.

 

Sete unidades prisionais estão disponibilizando materiais impressos preparatórios para a prova, retirados do site do instituto que organiza o Encceja e realizando aulas específicas para os apenados, são elas: Cadeia Pública de Tocantinópolis, Centro de Reeducação Social Luz do Amanhã, Cadeia Pública de Guaraí, Casa de Prisão Provisória de Palmas, Unidade Prisional Feminina de Talismã, Unidade Prisional Feminina de Lajeado e Cadeia Pública de Araguatins.

 

Apostilas

 

Entre as unidades que conseguiram a impressão dos materiais, apostilas, está o Centro de Reeducação Social Luz do Amanhã que através de parceria com a Defensoria Pública disponibilizou diversas apostilas de estudo e serão utilizadas em forma de revezamento e de grupos de estudos entre os 74 reeducandos que realizarão as provas.

 

Outra unidade que também está investindo na preparação para o exame é a Cadeia Pública de Araguatins que além da disponibilização das apostilas referentes ao exame, também entregou livros com assuntos voltados ao conteúdo do nível médio e fundamental. Os materiais também serão usados através de revezamento entre os reeducandos.

 

O reeducando E.R.S, de 56 anos, é um dos 14 reeducandos da unidade prisional de Araguatins que participará das provas e está apostando que a aprovação no Encceja mudará seu destino. "Eu não tenho muito estudo, mas com a preparação para do Encceja estou tendo uma chance de passar na prova e ter um futuro melhor", relatou.

 

Aulões

 

Algumas unidades optaram pela realização de aulas preparatórias com os principais assuntos referentes a cada categoria do exame. Esse foi o caso da Unidade Prisional Feminina de Talismã que irá realizar aulas especificas para as nove reeducandas. "Pretendemos realizar aulões para tratar dos principais assuntos para o exame, além disso, iremos aplicar simulados para as reeducandas, a fim de prepará-las para prova", explicou a coordenadora pedagógica, Necicleide Romualdo da Silva.

 

Inscritos

 

Reeducandos de 38 unidades prisionais prestarão as provas, sendo 540 para o ensino médio e 425 para o ensino fundamental. O exame, realizado anualmente, avalia os conhecimentos de jovens e adultos privados de liberdade, possibilitando a conclusão do ensino fundamental e médio.

 

As inscrições e mobilização dos reeducandos para participação no exame foram realizadas pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), através da Gerência de Assistência Educacional e Saúde ao Preso e Egresso.  

 

A agente analista de execução penal e responsável técnica pela assistência educacional ao preso da Seciju, Renata Keli Duarte, explicou que foram realizadas visitas técnicas nas unidades, afim de mobilizar os diretores para realização do exame. 

 

"Conseguimos através de visitas técnicas mobilizar 38 das 39 unidades para aplicação das provas, além disso, incentivamos os reeducandos para participação no exame", afirmou.

 

Para a agente, a realização dos preparatórios aumenta as possibilidades de ressocialização "O preparatório para esse exame proporciona o suporte necessário para que os reeducandos tenham êxito nas provas e assim aumentem a escolarização. Essa é uma oportunidade de mostrar que a educação tem um papel ressocializador", garantiu.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.