Sábado,
18 de Setembro de 2021

Publicado em 28 de Maio de 2021 (Atualizado Há 4 meses atrás)

Meus Amigos e Minhas Amigas,

O Ministério da Saúde definiu que a ordem de prioridade para a educação será profissionais de creches, pré-escolas, ensino fundamental, médio, cursos profissionalizantes e EJ (Educação de Jovens e Adultos).

Posteriormente chegará a vez dos profissionais do ensino superior.

A notícia interessante é que...

A pasta informou e autorizou que as cidades que não tiverem demanda para os grupos prioritários podem reservar parte das doses da vacina contra Covid-19 para pessoas com idade entre 18 e 59 anos sem comorbidades.

Vocês devem lembrar que no Editorial anterior eu abordava o perigo do retorno às aulas em virtude do ambiente ser extremamente perigoso para a contaminação. 

Pois bem...

Na nota técnica emitida nesta sexta-feira, 28, o Ministério da Saúde declarou que o "ambiente escolar traz, no entanto, elevado risco de exposição a vírus respiratórios aos trabalhadores da educação tendo em vista que crianças são habitualmente peças chaves na transmissão destes vírus, o que justifica a vacinação deste grupo de trabalhadores".

Sempre defendi que as aulas presenciais devem esperar um pouco mais.

Abrindo a possibilidade para vacinar pessoas sem comorbidades entre 18 e 50 anos, logicamente após busca ativa daqueles que se enquadram nos grupos prioritários, penso que atacaremos um grupo, principalmente os mais jovens, cujo percentual de contaminação e disseminação do vírus é muito grande pelo próprio "modus vivendi".

Fiquemos então na expectativa que tudo ocorra da melhor maneira possível para que caminhemos rumo à erradicação do vírus.

Essa é a minha Opinião

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários