Adapec apreende 460 kg de pescado clandestino

Os produtos não tinham registro no serviço oficial, por isso são considerados impróprios para o consumo

Publicado em: 26 de Junho de 2020
Foto Por: Divulgação
Autor: Dinalva Martins-Governo do Tocantins
Fonte: Ascom

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) que atuam nas barreiras volante e fixa de Talismã, localizada na divisa do Tocantins com o estado de Goiás, apreenderam 460 kg de pescado sem procedência comprovada, nessa quarta-feira, 24. O condutor do veículo foi autuado em R$ 2,5 mil e a carga destruída no aterro sanitário. A suspeita é de que a origem dos produtos era Porto Velho-RO com destino a Palmas.

 

Os profissionais notaram que um veículo evadiu a barreira, foi então que a Polícia Militar foi acionada e perseguiu o condutor fazendo com que ele retornasse ao posto fiscal para averiguação. Foi constatado pescado eviscerado, e em cortes que estavam em caixas de isopores na temperatura inadequada, sem rotulagem, nem embalagem individual.  O responsável pela carga não comprovou a origem dos alimentos, portanto foram considerados clandestinos.

 

De acordo com o inspetor de defesa agropecuária, Ricardo Matarazzo, os produtos não tinham registro no Serviço de Inspeção Federal-SIF, nem mesmo no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA), pois ambos permitiriam a comercialização interestadual. "Orientamos o condutor sobre a obrigatoriedade de cumprimento às normas de trânsito de produtos de origem animal, que vai desde a documentação, acondicionamento correto do produto, rotulagem, entre outros", explicou o inspetor.

 

Produtos inspecionados asseguram a procedência, qualidade e que foram fabricados atendendo as normas higiênico-sanitárias, e padrões estabelecidos em legislações. Com isso, a segurança alimentar.

 

Legenda:  Só permitido comercialização de produtos de origem animal inspecionados
Foto (2): Fiscais trabalham no combate ao comércio clandestino de produtos de origem animal

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.