Tocantins e estados do Bloco IV discutem alinhamentos sobre retirada da vacina contra febre aftosa

A retirada da vacinação contra aftosa no Tocantins está prevista para maio de 2021.

Publicado em: 16 de Julho de 2020
Foto Por: Welcton de Oliveira / Governo do Tocantins
Autor: ​Welcton de Oliveira / Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
Representantes da Adapec e do Fundeagro participam de webconferencia.

O Governo do Tocantins por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) participa nesta quarta-feira, 15, de uma webconferência sobre estratégias de retirada da vacina contra aftosa, com representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e dos estados da Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe, que compõem com o Tocantins, o Bloco IV.

 

Na abertura da webconferência, o diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Geraldo Marcos Moraes, abordou com os estados, a importância dos alinhamentos do Plano Estratégico Nacional de retirada da vacina contra aftosa, apontando que cada Unidade da Federação deve observar as orientações do plano.

 

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, disse que o encontro com os demais estados do bloco visa buscar alinhamento comum quanto a retirada da vacina, "uma vez que vamos retirar a vacina no mesmo período e somos o bloco que representa o maior número de bovídeos do país, por isso, precisamos nos comunicar constantemente, em busca de melhores estratégias, uma vez que, com a pandemia da Covid-19, nosso plano está se adequando a esta nova realidade," pontuou o presidente.

 

Além dos representantes da Adapec, também participa da webconferência, o presidente do Fundo Privado de Defesa Agropecuária do Tocantins, Saddin Bucar Figueira, representando os produtores rurais tocantinenses. O encontro segue durante todo o dia desta quarta-feira.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.