“A Taça é Nossa”: Wladimir Araújo relembra dificuldades na conquista do tetra pelo Tigre

Na decisão do Tocantinense, o Interporto encarou o Sparta, de Fernando Brasília, em dois duelos

Publicado em: 15 de Junho de 2020
Foto Por: Edson Reis
Autor: GloboEsporte.com, Palmas, TO
Fonte: GloboEsporte.com, Palmas, TO
Wladimir Araújo, quando comandou o Interporto

A “A Taça é Nossa” em especial de quarentena relembra neste sábado (13), a conquista do tetra do Interporto em 2017. Wladimir Araújo é o personagem da vez. O treinador foi contratado na época para comandar o Tigre na busca pela taça, uma vaga na Copa do Brasil e Brasileiro da Série D.

Na decisão do Tocantinense, o Interporto encarou o Sparta, de Fernando Brasília, em dois duelos. Na ida, no General Sampaio, 2 a 0 para o Interporto, na volta no Mirandão, o placar foi o mesmo a favor dos comandados de Wladimir Araújo.

- Minha ida para o Interporto foi através do professor Wesley, que trabalhou por várias vezes no Gurupi e no próprio Interporto. Ele tem uma ligação muito boa com Sanches [diretor de futebol] e com o próprio Baiano [atual presidente]. Na época, eu estava no Operário –MT, e de repente veio esse convite, logo após ter deixado o time. E deu certo, eu estava otimista em fazer esse primeiro trabalho aí no Tocantins. Graças a Deus deu tudo certo. Tivemos dificuldade na montagem do elenco. Montamos o time com a base do Operário e alguns atletas do Tocantins e de Goiás.

Wladimir Araújo relevou que em um certo momento da competição, a diretoria já não acreditava mais na classificação e nem no título, isso porque o time vinha de dois empates e apenas uma vitória em três partidas.

- Dificuldade, toda temporada que você faz não deixa de ter. A dificuldade maior foi no início da competição com os empates. A diretoria chegou no jogo nosso contra o Capital, lá em Miracema, e a gente teria que vencer para seguir com chances de classificação. A diretoria não estava acreditando na nossa classificação. Mas a equipe mostrou maturidade e a gente venceu por 2 a 1. Aí depois o time cresceu no momento certo.

- Foi um campeonato que a gente teve a dificuldade no início, mas o crescimento durante a competição foi importante. O elenco mostrou força. A gente teve um elenco de muita qualidade, um grupo de praticamente 28 a 30 atletas, mesclados com atletas jovens da cidade. A gente tinha praticamente dois jogadores em cada posição, e todos do mesmo nível. O elenco mostrou força e conseguimos o título, com duas vitórias frente ao Sparta.

Campanha até o título

1ª rodada – Interporto 1 x 1 Capital, estádio General Sampaio

2ª - Interporto 2 x 1 Paraíso, estádio General Sampaio

3ª - Paraíso 0 x 0 Interporto, estádio Pereirão

4ª – Capital 0 x 2 Interporto, estádio General Sampaio

5ª - Interporto 2 x 0 Gurupi, estádio Rezendão

  • Jogo de ida semifinais: Tocantinópolis 2 x 2 Interporto, estádio Ribeirão
  • Jogo de volta semifinais: Interporto 0 x 0 Tocantinópolis, estádio General Sampaio
  • Jogo de ida da final: Interproto 2 x 0 Sparta, estádio General Sampaio
  • Jogo de volta da final: Sparta 0 x 2 Interporto, estádio Mirandão

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.