A Taça é Nossa: A quebra de jejum do Interporto sob o comando de Roberto Oliveira em 2013

Ainda como técnico do Gurupi em 2011, Roberto já recebia propostas para alavancar o Interporto que estava na seca de títulos há 13 anos

Publicado em: 13 de Agosto de 2020
Foto Por: Vilma Nascimento/GloboEsporte.com
Autor: Redação do ge
Fonte: ge
Roberto Oliveira era o técnico do Interporto em 2013

A série 'A Taça é Nossa' relembra, neste sábado (8), um dos títulos mais aclamados na história do Interporto: o estadual de 2013. A campanha, inclusive, já foi eleita pelos internautas como a melhor do Tigre desde então. Naquela ocasião, o clube venceu o tocantinense sob o comando de Roberto Oliveira depois de 13 anos sem nenhuma conquista.

 

O técnico vinha recebendo propostas do Inteporto dois anos antes da quebra de jejum em 2013. Na época, Roberto ficou conhecido por quebrar a seca de títulos do Gurupi. O Camaleão do Sul era o atual campeão Tocantinense, com dois títulos consecutivos -2010 e 2011- sob o comando do técnico. Roberto relembra como foi o primeiro contato com o Tigre.

 

-Estava no hotel em que eu residia em Gurupi quando um senhor me chegou e falou “Roberto, eu ainda vou leva-lo para dirigir o Interporto”. Eu até brinquei com ele e falei - eu estou aberto a propostas. Depois que eu vinha saber que era o deputado Toim Andrade. Então ele foi um dos responsáveis pela a minha ida para comandar a equipe do Interporto que estava também, para variar, há 13 anos perseguindo o título.

 

Assim como no Gurupi, Roberto viu grandes dificuldades ao chegar para comandar o Interporto. Porém esta era mais uma chance do técnico se ambientar com o futebol do time portuense.

 

- Iniciamos a caminhada lá, logicamente que com muita desconfiança, afinal de contas há 13 anos que a esperança brotava e morria. E a gente com confiança no trabalho, na minha comissão técnica começamos o trabalho. Buscando jogadores aqui, outros que eu já conhecia do futebol tocantinense, logico né, montando uma base, jogadores em quem eu confiava e que eu sabia que iria me dar retorno. Começamos o trabalho, eu tive a presença de uma pessoa muito importante nessa caminhada, nesse planejamento, que é o atual presidente do Interporto, o Baiano. Ele cercado de outros colaboradores, nos deu todo o suporte necessário para que a gente pudesse seguir o planejamento traçado.

 

Nova ambientação

Com muitos jogadores deixando o Tigre para jogar pelo Gurupi, Roberto Oliveira teve que buscar novas peças para completar o elenco.

- Tivemos perda de jogadores que já estavam trabalhando com a gente, receberam uma proposta melhor do próprio Gurupi e nos deixaram. Tivemos que buscar novos jogadores e o campeonato seguiu. Me lembro que a equipe foi ganhando corpo, jogadores de outros estados que vieram nos ajudaram bastante. Consegui por exemplo trazer o Batata que jogou durante muito tempo no Vila Nova, Santo André disputando campeonatos brasileiros. Foi de suma importância a chegada dele, porque além de um ótimo atleta é um líder. Tivemos o artilheiro do campeonato que é o Fábio Bala, jogador também que foi me indicado.

 

Naquela temporada, o Tocantinense era dividido em dois turnos. O Interporto garantiu o primeiro turno, disputando a final com o Gurupi. O Tigre se garantiu vencendo por 3 a 1 no jogo de ida. Na volta, a equipe empatou com o Camaleão do sul por 2 a 2. Roberto diz que o resultado foi inesperado.

 

- Com isso conseguimos o título do primeiro turno, foi até gozado, até atípico porque eu precisei de um zagueiro. Nós contratamos o zagueiro dois dias antes de fechar as inscrições, o zagueiro Adair. Ele chegou na quinta-feira, foi registrado, fizemos apenas um treinamento. Nós jogamos e fomos campeões do primeiro turno.

 

O Interporto garantiu a vaga na final do Tocantinense, mas ficou de fora na final do segundo turno, disputada entre Palmas e Gurupi. Após o empate por 1 a 1 no jogo de ida, o Camaleão do Sul levou a melhor, e venceu o Palmas por 2 a 3 no jogo de volta. Com o resultado o Tigre iria enfrentar novamente o Gurupi, só que desta vez pelo título de 2013.

 

- Começamos o segundo turno, com isso a equipe deu uma vacilada, com isso as outras equipes foram crescendo. Mas a gente retornou né, com a chegada no Batata, e depois mais ainda com a chegada do Anaílson, conseguimos também contratar esse grande jogador. A equipe voltou ao ritmo normal, Só que o Gurupi foi campeão do segundo turno.

 

Com novas contratações e o foco na final, Roberto já preparava novas táticas.

- Naquela oportunidade decidiu o título campeão do primeiro contra o campeão do segundo turno. Como tinha feito uma melhor campanha, o primeiro jogo foi lá em Gurupi. Jogo duríssimo, como não poderia deixar de ser. Fizemos um ótimo jogo lá, 1 a 1, jogo pegado, difícil.

 

Disputa acirrada

A dificuldade só aumentava e não foi diferente no jogo de volta. Mesmo jogando em casa, Roberto relembra que buscava uma brecha no time do Gurupi, na época era comandado pelo técnico Glauber Sousa.

- Eu me lembro que de acordo com o esquema tático, para poder acertar a marcação eu tive que substituir um jogador meu com menos de 20 minutos. Eu troquei, a equipe se acertou em campo, matamos a principal jogada do Gurupi e conseguimos esse resultado. E no jogo de volta, a gente fazendo uma excelente partida, infelizmente nesse jogo o Batata ficou fora porque estava suspenso, uma perda bastante forte para aquela decisão.

Mas com os recursos que tinha, o Interporto se sobressaiu e fez 1 a 0 contra o Gurupi. A vitória marcou o quinto título de Roberto Oliveira no futebol tocantinense, sendo considerado um técnicos com maior número de vitórias no estado, ao lado do técnico Carlos Magno.

- O gol da vitória foi do jogador Rodrigo, que até hoje faz parte do elenco do Interporto. E com isso depois de 13 anos o Interporto foi campeão. Eu agradeço muito o trabalho realizado, o apoio que eu tive do Wilsomar, que hoje é um dos baluartes do Inteporto. O Bainao, e muitos outros companheiros que nos deram suporte para fazer essa campanha. Fiquei muito satisfeito com o título e assim eu consegui a minha quinta conquista.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.