Quarta - Feira,
21 de Abril de 2021

Abel tenta fazer (ainda mais) história com tetra em possível despedida do Inter

Abel Braga técnico Inter

Autor: Eduardo Deconto e Tomás Hammes — Porto Alegre

Fonte: GE — Porto Alegre

Publicado em 25 de Fevereiro de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Sem Legenda

Autor da Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

Mais do que nunca, o Inter terá de levar "a plagas distantes seus feitos relevantes" para conquistar o tetra no Brasileirão após 41 anos como diz a letra do hino. Para ser campeão brasileiro, o Colorado precisa vencer o Corinthians e torcer por um resultado simultâneo, às 21h30 desta quinta-feira, a milhares de quilômetros do Beira-Rio: ao menos um empate do Flmengo com o São Paulo no Morumbi.

 

Uma noite que desde já se anuncia histórica, especialmente para Abel Braga. Com taça ou não, o treinador que mais vezes dirigiu o Inter na história deve comandar a equipe pelos últimos 90 minutos de sua sétima passagem pelo clube. Será seu jogo de número 440.

 

O duelo que pode render ao Colorado o tão sonhado tetra no Brasileirão tem sabor de possível despedida para Abelão. O técnico tem contrato com o clube apenas até o final do Campeonato Brasileiro.


E o cenário desenhado até o momento é de saída. Diretoria e treinador não conversaram uma vez sequer sobre renovação para não desvirtuar foco da briga pelo título. E o Inter tem um acerto – ainda não oficial – com Miguel Ángel Ramírez para a próxima temporada.

 

O Inter é vice-líder do Brasileirão com 69 pontos, dois a menos que o líder Flamengo. Para ser campeão: o Colorado precisa vencer o Corinthians no Beira-Rio e torcer por empate ou derrota do Rubro-Negro contra o São Paulo no Morumbi

 

Os próximos capítulos do cargo só serão revelados após o apito final para a temporada colorada nesta quinta-feira. Até lá, falar sobre o futuro pós-Brasileirão é assunto proibido desde que o presidente Alessandro Barcellos tomou posse em 4 de janeiro.

 

Retomada, recorde e sonho do tetra

 

Desde então e até esta quinta-feira já emblemática, o foco total recai sobre a história que os 180 minutos em Beira-Rio e Morumbi escreverão. Campeão ou não, o fato é que Abel já faz uma campanha suficiente para uma retomada de carreira após trabalhos ruins por Cruzeiro e Vasco e uma saída conturbada do Flamengo, em 2019.

 

O treinador assumiu o Inter após a saída abrupta de Eduardo Coudet, sofreu com Covid-19 e viu o time penar até engrenar. Mas quando engrenou...

 

O Colorado engatou nove vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro e estabeleceu um recorde na era de pontos corridos. Virou líder isolado até a derrota para o Flamengo na última rodada.

 

O título só virá com uma vitória sobre o Corinthians combinada com um tropeço do Flamengo diante do São Paulo. Com requintes de sofrimento, apenas para engrandecer o currículo de quem conquistou a América e o mundo pelo Inter e é o técnico que mais vezes dirigiu o clube.

 

O sucesso em campo fez Abelão voltar a sorrir e também despertou o interesse de outros clubes. O Al-Nasr, dos Emirados Árabes, tentou tirá-lo do Inter. Em vão.

 

Sem conversas sobre o futuro... E Ramírez

 

Ainda antes de assumir oficialmente a gestão, o mandatário viajou com a delegação a convite do então presidente Marcelo Medeiros para a vitória por 2 a 1 sobre o Bahia, na Fonte Nova. Em Salvador, Barcellos aparou arestas com Abelão e garantiu a permanência do treinador para concluir a temporada.

 

À época, o acerto com Miguel Ángel Ramírez já era público, e o Inter começava engrenar na série de nove vitórias seguidas que virou recorde e levou a equipe ao topo da tabela. E a partir daí, treinador e diretoria alinharam mesmos discursos e posturas.

 

Qualquer assunto que pudesse desvirtuar o foco da briga pelo título seria evitado. E assim foi. Invariavelmente, mensagens enviadas a dirigentes e comissão técnica pela reportagem do ge, eram respondidas com: "foco no próximo adversário".

 

Mas o tema Miguel Ángel Ramírez voltou à tona no início de fevereiro, graças ao São Paulo. O Tricolor fez contato com o treinador espanhol para substituir Fernando Diniz.

 

E o estrangeiro agradeceu e reiterou que já tinha um acordo alinhado com o Inter. O ge ouviu de pessoas próximas a Ramírez que há até um termo de compromisso firmado e multa rescisória. Algo negado reiteradamente pela diretoria colorada — e com veemência.

 

Ao mesmo tempo, a temporada foi escorrendo em seus últimos jogos, e a situação de Abel seguiu indefinida. O técnico recebeu e recusou uma sondagem do Al-Nasr para seguir na briga pelo título. Mas não ter sido procurado pela diretoria colorada para tratar da renovação causou certo desconforto. Sem, claro, interferir no trabalho em campo.

 

Resta saber qual serão os desfechos. Da briga pelo título e do comando do Inter. A última rodada do Brasileirão está marcada para esta quinta-feira, às 21h30.

 

O Inter é vice-líder com 69 pontos e dois a menos que o Flamengo, líder com 71. O Colorado precisa vencer o Corinthians no Beira-Rio e torcer por um empate do Rubro-Negro com o São Paulo no Morumb

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários