Segunda - Feira,
15 de Agosto de 2022

Análise: Daniel sustenta empate do Inter na altitude de Arequipa e dá a volta por cima em jogo decisivo

Resultado de 0 a 0 passou diretamente pela atuação do goleiro, que fez nove defesas ao longo do jogo. Colorado cumpre missão e volta vivo para decidir a vaga diante do torcedor

Autor: Bruno Ravazzolli — Porto Alegre

Fonte: GE— Porto Alegre

Publicado em 05 de Agosto de 2022 (Atualizado Há 1 semana atrás)

Legenda: Daniel eleito o melhor em campo em empate do Inter

Autor da Foto: Staff images/Conmebol

O empate por 0 a 0 entre Inter e Melgar passou pelas luvas de Daniel. O por vezes contestado goleiro fez nove defesas durante o jogo e garantiu o resultado em solo peruano. Os desajustes defensivos no início da partida, em especial na bola aérea, quase prejudicaram a estratégia de Mano Menezes. A equipe suportou a pressão muito pelo goleiro e cumpriu o objetivo de voltar vivo para o duelo em Porto Alegre.

A incerteza sobre a titularidade do camisa 1 pode ter se dissipado depois da atuação na altitude de Arequipa. Mesmo com o sistema defensivo desajustado nos primeiros minutos, Daniel assumiu o protagonismo, salvou o Inter com belas defesas e triunfou no duelo com o artilheiro Bernardo Cuesta. Foram cinco intervenções em arremates do argentino.

+ Daniel destaca atuação defensiva do Inter: "Resultado não é ruim"

Mano Menezes admitiu que houve instabilidade defensiva e fez referência a qualidade da "equipe bem construída" e de "futebol bem jogado" do Melgar. O Colorado resistiu à pressão graças à noite inspirada do seu arqueiro e só passou a respirar no jogo a partir dos 18 minutos, quando corrigiu o posicionamento atrás e deu menos chances ao rival.

Os peruanos, no entanto, permaneceram com posse de bola e volume de jogo. A tentativa de encontrar espaços se transformou num festival de cruzamentos – ao todo, foram 38. Mal no primeiro tempo, Vitão reagiu na etapa final e foi peça-chave para evitar situações de perigo. O Melgar voltou a assustar nos chutes de Arias e Cabrera, que pararam no inspirado goleiro.

Quando os detalhes não funcionaram bem, Daniel esteve lá exatamente para defender e confirmar o grande goleiro que é.

— Mano Menezes

Com a bola no pé, foram poucos momentos de inspiração por parte do Inter. A melhor chance da etapa inicial foi no chute de pé esquerdo de Wanderson, que parou em Cáceda. A jogada mais vistosa ocorreu em meio a pressão inicial do adversário. De Pena encontrou Bustos, que deu para Alemão no pivô. O centroavante ajeitou para o lateral argentino arriscar, mas a bola passou à esquerda.

A chance de ouro do do Inter veio, ironicamente, 10 minutos após a expulsão de Alemão por cotovelada em Arias aos 20 minutos do segundo tempo. Edenilson interceptou uma bola no meio-campo e tocou para Alan Patrick, que arrancou pelo meio e encontrou o companheiro livre na área. O camisa 8 bateu de primeira e desperdiçou uma chance cristalina de ganhar o jogo.

- Jogamos contra um grande adversário. Temos que perder a mania do brasileiro de achar que todos são menos do que nós. Melgar tem um ótimo técnico, tem trabalho e as dificuldades se colocam pelo adversário. Não defendemos bem nos primeiros minutos. Quando você não defende bem, você sofre. O adversário levantou 30 e poucas bolas na área, sinal de que fechamos o meio e demos o lado. No início, levantaram bolas mais perigosas. Quando defendemos bem, a bola foi tirada pelo Vitão, que deve ter afastado umas 15 bolas de cabeça - explicou o treinador.

- O primeiro tempo foi um pouco complicado. Faltou encaixar. Arrumamos para o segundo tempo essa bola cruzada e conseguimos defender bem. Com a expulsão, seguramos mais o jogo. É uma decisão, são dois jogos. Seguramos aqui para decidir em casa - disse o meia Mauricio na zona mista.

O resultado foi comemorado no vestiário. O objetivo de voltar vivo para a segunda partida foi cumprido. O empate fora de casa permite que o Inter elimine o Melgar em caso de qualquer vitória no Beira-Rio na próxima quinta-feira. Uma nova igualdade leva a decisão para os pênaltis. O fator local é um dos trunfos para carimbar a classificação às semifinais do torneio.

Para o duelo da volta, Mano não contará com Alemão. As principais alternativas são Braian Romero e Pedro Henrique. No meio-campo, Alan Patrick deve recuperar a condição de titular na vaga de Mauricio. O zagueiro Rodrigo Moledo, em recuperação de lesão na panturrilha direita, permanece fora.

A delegação colorada já desembarcou em Lima, capital do Peru. À tarde, começo do deslocamento para o nordeste brasileiro, onde no domingo, às 18h, enfrenta o Fortaleza, pela 21ª rodada do Brasileirão. A tendência é por escalação reserva no Castelão.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários