Clubes de todo o mundo apoiam campanha para ajudar a encontrar crianças desaparecidas

Pioneira na iniciativa, Roma reúne mais de 160 equipes - nove do Brasil - para participar de ato virtual na próxima segunda-feira. Alcance global é superior a 100 milhões de seguidores

Publicado em: 22 de Maio de 2020
Foto Por: Infoesporte
Autor: Allan Caldas — Rio de Janeiro
Fonte: Globo Esporte
Campanha global reúne 160 clubes no Dia Internacional das Crianças Desaparecidas

Vinte e três crianças e adolescentes, o equivalente a uma convocação inteira de uma seleção para a Copa do Mundo. Esta é a média de menores desaparecidos por dia no estado de São Paulo. No mundo, são cerca de um milhão de casos a cada ano. O futebol que une famílias na paixão por um time agora quer unir torcedores de diferentes bandeiras para conscientizar a população para este drama cotidiano.

Na próxima segunda-feira, Dia Internacional das Crianças Desaparecidas, pelo menos 161 clubes de 60 países - nove deles do Brasil - vão usar suas contas no Twitter e outras redes sociais para apoiar a campanha de solidariedade global Football Cares (o futebol se importa, em português).

- Nossa missão é garantir que cada criança tenha um lugar seguro para crescer. Futebol é um esporte global que está nos ajudando a atacar um problema global. Temos orgulho dessa parceria com os clubes para ajudar a unir crianças desaparecidas às suas famílias - afirmou Bob Cunningham, CEO do Centro Internacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas (ICMEC na sigla em inglês).

 

Alguns dos mais populares clubes do mundo, como Barcelona, Bayern de Munique, Chelsea, Juventus, Liverpool e Milan, se juntaram à Roma, pioneira na parceria com o ICMEC e articuladora da campanha conjunta deste ano. Nove brasileiros também confirmaram presença na campanha, segundo o escritório do ICMEC para a América Latina: Corinthians, Coritiba, Flamengo, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Paysandu, Santos e Vasco. O ICMEC ainda aguarda a confirmação de outros times do país e do exterior para se juntar à iniciativa ao longo do fim de semana.

O impacto esperado da ação é proporcional à paixão que essas equipes despertam pelo mundo. Juntos, os dez times europeus com mais seguidores no Twitter entre os participantes da iniciativa alcançam 83,6 milhões de pessoas. Eles se somam aos mais de 26,2 milhões de seguidores dos nove times brasileiros em conjunto.

Os dez clubes estrangeiros participantes com mais seguidores no Twitter:

< >Barcelona - 15,1 milhões

Liverpool - 14,5 milhões

Chelsea - 14,3 milhões

Juventus - 8 milhões

Fenerbahçe - 7,3 milhões

Milan - 7,3 milhões

Bayern de Munique - 4,8 milhões

Atlético de Madrid - 4,6 milhões

Tottenham - 4,2 milhões

Borussia Dortmund - 3,5 milhões

Flamengo - 6,6 milhões

Corinthians - 6 milhões

Palmeiras - 3,1 milhões

Santos - 2,8 milhões

Grêmio - 2,7 milhões

Vasco - 2,3 milhões

Internacional - 1,6 milhão

Coritiba - 950 mil

Paysandu - 185 mil

Seis crianças divulgadas pela Roma foram encontradas

 

O pontapé inicial na cooperação do futebol com o ICMEC foi dado ano passado pela Roma. Durante a pré-temporada, os anúncios no Twitter das contratações de reforços como Mert Cetin, Chris Smalling, Davide Zappacosta e Henrikh Mkhitaryan eram acompanhados de vídeos com imagens de crianças desaparecidas em todo o mundo. Seis menores veiculados nos vídeos da Roma já foram encontrados e reunidos às suas famílias em segurança - três na Inglaterra, um na Bélgica e dois no Quênia.

 

A ideia foi do Diretor de Estratégias da Roma, Paul Rogers, inspirado em campanhas similares feitas no passado, como as fotos de crianças desaparecidas que ilustravam caixas de leite e o clipe da música Runaway Train, da banda americana Soul Asylum, que também deu visibilidade a menores afastados de suas casas.

- Nós pensamos que poderíamos fazer algo similar com a Roma, mas atualizando para a atual geração. Queríamos usar a natureza viral dos anúncios de contratações nas mídias sociais para ajudar a aumentar a visibilidade de crianças desaparecidas - contou o executivo britânico, por e-mail.

- Nós usamos nossas mídias sociais não para autopromoção mas para ajudar crianças desaparecidas - completou Rogers.

Depois da bem sucedida campanha do ano passado, a Roma trabalhou em parceria com o ICMEC para reunir o máximo possível de clubes para fortalecer a iniciativa Football Cares.

- Por maior que fosse o sucesso que uma campanha da Roma pudesse ter, fazer isso sozinho nunca teria o mesmo poder que podemos alcançar se trabalharmos com clubes de todo o mundo - disse Rogers.

O ICMEC ressalta que não é possível associar diretamente as recuperações com a divulgação dos rostos no Twitter dos clubes, já que há outros mecanismos de busca e reconhecimento de crianças desaparecidas. Mas o instituto comemora o envolvimento dos times de futebol, por potencializar as chances de sucesso da campanha.

- Com o enorme alcance de seus seguidores, esperamos que alguém, em algum lugar, possa reconhecer uma das crianças desaparecidas nos vídeos e levar uma criança a se reunir com seus entes queridos - encerrou Bob Cunningham.

Todos os clubes confirmados na campanha até quinta-feira (21/5), por país:

< >Alemanha - Bayer Leverkusen, Bayern de Munique, Borussia Dortmund, Borussia Mônchengladbach, Hoffenheim, Schalke 04 e Wolfsburg

Andorra - Santa Coloma

Armênia - Lori

Austrália - Sydney e Western Sydney Wanderers

Áustria - Lask e WSG Tirol

Bélgica - Ghent e Genk

Bolívia - The Strongest

Bósnia e Herzegovina - FK Sarajevo

Brasil - Corinthians, Coritiba, Flamengo, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Paysandu, Santos e Vasco

Bulgária - Ludogorets Razgard

Canadá - Vancouver Whitecaps e Toronto

Cazaquistão - Astana

Chipre - AEK Larnaca, Apoel, Apollon Limassol e Omonia

Croácia - Dinamo e Hajduk Split

Dinamarca - Aalborg

Egito - Al Ahly

El Salvador - Alianza

Equador - Independiente del Valle

Escócia - Celtic, Dundfermline, Falkirk, Livingston, Partick Thistle, Rangers, Saint Anthony e St. Johnstone

Eslováquia - Slovan Bratislava

Espanha - Athletic Bilbao, Atlético de Madrid, Barcelona, Sevilla e Valencia

Estados Unidos - DC , Charlotte, FC Dallas, Houston Dynamo, New England Revolution, New York City FC, New York Red Bulls e San Jose Earthquakes

Finlândia - Seinajoki

França - Lyon e Olympique de Marselha

Gana - Akatsi All Stars, Bofoakwa Tano, Sekondi Hasaacas e Spartans

Gibraltar - Lincoln Red Imps

Grécia - AEK Atenas, Asteras Tripolis, Atromitos Athens, Olypiakos, Panathinaikos e Paok Salonica

Holanda - Ajax e AZ Alkmaar

Hungria - BAK, Fehevar e Ferencvaros

Ilhas Faroe - Streymur

Índia - Gokulan Kerala, Jamshedpur e Kerala Blasters

Inglaterra - Bournemouth, Brighton, Chelsea, Everton, Fulham, Hackney Wick, Liverpool, Sunderland, Tottenham Hotspur e Watford

Irlanda - Cork City, Dundalk e Shamrock Rovers

Irlanda do Norte - Linfield

Israel - Hapoel Be'er Sheva

Itália - Atalanta, Fiorentina, Inter de Milão, Juventus, Lazio, Milan e Roma

Japão - Montedio Yamagata

Lituânia - Jelgava

Macedônia - Vardar e Osogovo

Malásia - Selangor e Raja Permin

Moldávia - Zimbru Chisinau

Montenegro - Titograd e Sutjeska Niksic

Nigéria - Enyimba e Sunshine Stars

Noruega - Rosenborg

Nova Zelândia - Wellington Phoenix

Polônia - MKS Cracóvia

Portugal - Benfica

Quênia - Kariobangi Sharks

República Tcheca - Slavia Praga, Slovan Liberec e Viktoria Plzen

Romênia - Cluj

Rússia - Lokomotiv Moscou, Spartak Moscou e Zenit

San Marino - La Fiorita

Sérvia - Vozdovac

Sudão - Al Hilan Omduman

Suécia - Hittarps e Malmo

Suíça - Basel, Young Boys e FC Zurich

Taiwan - Datong, Gaoshi Taipower, Hangyuan, Hongtai, Hualien, Kaohsiung Yangxin, Ming Chuan University, Red Lion FC, Taichung Blue Whale, Taichung FUTURO, Tainan Steel Taiwan, Taipei Bear, Taoyuan International e Xinbei Hangyuan

Turquia - Fenerbahçe e Sakaryaspor

Uganda - SC Villa

Zimbábue - Bulawayo Chiefs, Caps United, Chicken Inn e Highlanders

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.