Quarta - Feira,
26 de Janeiro de 2022

Com saída de 10 jogadores, Flamengo estima economia próxima a R$ 30 milhões em 2022

Gabriel Batista é o próximo a sair, e a Europa é seu provável destino; negociações de Piris da Motta, Max, Bill e João Lucas rendem ao clube cerca de R$ 15 milhões

Autor: Cahê Mota e Fred Gomes — Rio de Janeiro

Fonte: GE — Rio de Janeiro

Publicado em 14 de Janeiro de 2022 (Atualizado Há 2 semanas atrás)

Legenda: Gabriel Batista foi titular contra o Volta Redonda

Autor da Foto: André Mourão / Foto FC

O Flamengo já definiu a saída de nove jogadores desde o fim da última temporada. O próximo será Gabriel Batista, que está em vias de ser negociado com um clube do futebol europeu. O goleiro de 23 anos tem contrato até dezembro, e as partes entendem que uma mudança de ares pode ser positiva.

ge apurou que o Rubro-Negro economizará por ano R$28.602.819,70 com as saídas de 10 jogadores - Gabriel Batista, embora não tenha a saída oficializada até então, faz parte da conta.

Nesta quinta-feira, César, também jogador da posição e com 12 anos de Gávea nas costas, anunciou sua saída do clube, que se deu em comum acordo. 

Além de César (saída definida) e Gabriel Batista (situação bem encaminhada), deixaram o Rubro-Negro recentemente João Lucas (agora jogador do Cuiabá), Bruno Viana (fim de empréstimo), Hugo Moura (emprestado ao Athletico-PR), Vitor Gabriel (emprestado ao Juventude), Piris da Motta (vendido ao Cerro Porteño), Bill (vendido ao Dnipro-UCR), Max (vendido ao Colorado-EUA) e Kenedy (de volta ao Chelsea após solicitação do clube inglês).

Os quase R$ 30 milhões de economia se referem a salários, direitos de imagem e encargos que o Flamengo teria de arcar até o fim dos vínculos dos atletas citados. Hugo Moura e Vitor Gabriel, porém, têm situação diferente e seus respectivos contratos com o clube rubro-negro são válidos até dezembro de 2023.

Do grupo dos que saíram, Kenedy, cujo contrato era válido até 31 de julho, era quem mais gerava custos aos cofres rubro-negros. Sua saída não se deu por opção do Flamengo, mas sim por um pedido do Chelsea, que carece de jogadores capazes de fazer a ala esquerda - Ben Chilwell sofreu lesão no joelho em novembro.

Além de economizar, o Flamengo receberá cerca de R$ 15 milhões com as saídas de Piris da Motta, Max, Bill e João Lucas. Os dois primeiros renderão US$ 1 milhão cada. O ponta sai por 400 mil euros, e o lateral-direito por cerca de R$ 1 milhão.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários