De Oswaldinho a Mourinho, auxiliares também tornam-se grandes técnicos

Perto do Flamengo, Domenec Torrent viverá o que outros assistentes técnicos já viveram em outros tempos. E superaram

Publicado em: 29 de Julho de 2020
Foto Por: Pressefoto Ulmer via Getty Images
Autor: Globo Esporte - Rio de Janeiro
Fonte: Globo Esporte
Domènec Torrent e Pep Guardiola na última temporada pelo Bayern de Munique, em 2014/15

José Mourinho começou sua carreira em grandes clubes como intérprete do técnico inglês Bobby Robson, primeiro no Sporting, depois no Porto. Mas questionado se era mesmo tradutor do treinador britânico, sempre respondeu: "Era o intérprete porque era o único a falar o inglês, pá!"

 

Robson transferiu-se para o Barcelona e Mourinho foi junto, como auxiliar. E consta que ficou bravo quando Bobby Robson caiu, depois de perder o Campeonato Espanhol para o Real Madrid. Era o timaço de Luis Figo e Ronaldo Fenômeno. O português julgou que seria o sucessor, mas não. O Barça contratou Louis Van Gaal.

E Mourinho, não muito calmo, esperou pela sua vez. Quando Van Gaal saiu, foi para o Benfica e sua primeira experiência como treinador foi de pouco sucesso.

 

O Benfica não estava bem. Depois, no União de Leiria foi muito bem, trampolim para as campanhas de sucesso no Porto, bicampeão português, vencedor da Copa da Uefa e da Champions League.


Oswaldo de Oliveira assumiu como técnico, quando Vanderlei Luxemburgo seguiu para a seleção brasileira. Mas nos primeiros meses, comportava-se como Oswaldinho.

 

Os resultados não ajudaram e o Corinthians decidiu contratar Evaristo de Macedo. Foi pior. Quando Oswaldo voltou, dois meses depois, tinha o peito estufado e as ordens na ponta da língua. Terminou aquele ano de 1999 campeão paulista e brasileiro.

 

Oswaldo foi para Fábio Carille o que Evaristo foi para Oswaldinho. Carille assumiu quando Tite foi para a seleção, mas não deu certo de cara. Só que Oswaldo, já experiente, não conseguiu fazer o Corinthians seguir o rumo de Tite, em 2016. Carille voltou em 2017, com o Timão chamado de timinho, de quarta força. Terminou campeão paulista e brasileiro.

 

Há muitos casos assim. Não dá para cravar que acontecerá o mesmo com Domenec Torrent, ex-auxiliar de Josep Guardiona, nas campanhas dos títulos da Champions League de 2009 e 2011, depois nos campeonatos alemães de 2014, 2015 e 2016 pelo Bayern, na Premier League de 2018.

 

De Mourinho, Brendan Rodgers foi assistente no Chelsea. Mas não teve o mesmo sucesso quando reencontrou o mestre.

 

Atual treinador do Leicester, em 2014 estava no Liverpool e tinha tudo para ser campeão inglês seis anos antes de Klopp quebrar o jejum. O Chelsea de Mourinho ganhou por 2 x 0 em Anfield e evitou o sucesso dos Reds.

 

Se for Torrent o técnico do Flamengo, a questão é saber se ele conseguirá ser Mourinho. Ou se será um Brendan Rodgers.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.