Dia Nacional do Atleta Paralímpico: conheça histórias de superação de tocantinenses

Claudio Novaes sofreu um acidente de carro há 30 anos, e perdeu a perna esquerda. Pouco tempo depois tentou vários esportes e atualmente pratica o tênis em cadeira de rodas

Publicado em: 23 de Setembro de 2020
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: GE
Fonte: GE
Tênis de cadeira foi o esporte que Claudio Novaes mais se identificou

Neste dia 22 de setembro é comemorado no Brasil o ‘Dia Nacional do Atleta Paralímpico’. No Tocantins, as histórias de superação no esporte paraolímpico são várias. Claudio Novaes, por exemplo, entrou para o tênis de cadeira de rodas, depois de sofrer um acidente de carro há 30 anos, e perder a perna esquerda. Mas antes de entrar para o tênis, ele passou por diversas outras modalidades esportivas.

 

- Eu procurei atividades esportivas adaptadas para que pudesse praticar, comecei com o basquetebol de cadeira de rodas, tênis de mesa, natação, e no início me identifiquei mais com o basquete. Agora desde 2018, estou morando há 3 anos em Palmas e experimentei o tênis de cadeira de rodas, essa modalidade que eu me apaixonei e venho me identificando com mais frequência.

 

Desde então, Claudio vem encarando vários campeonatos no tênis. Com a pandemia de Covid-19, as competições foram canceladas neste ano, mas isso não foi motivo para ele parar com os treinos.


O paratleta Ilquias Lopes entrou para o atletismo aos 13 anos. Ele não tem um dos membros inferiores. Aos 17 anos se se profissionalizou, focando nas corridas de 100 e 400 m. Hoje ele participa de competições em todo o território nacional.

 

- Eu participo de regionais, nacional e brasileiro. Participei do Parapan-Americanos e consegui uma medalha, terceiro lugar nos 100, foi a maior competição que eu fui. Mas ano que vem tem Tóquio [paralimpíadas], e a gente está treinando para isso porque é uma oportunidade muito grande.

 

Ilquias conta que o esporte foi fundamental para o desenvolvimento dele, tanto na superação física, quanto emocional.

- Superar o medo, superar as dificuldades na vida, porque, a gente querendo ou não tem muita dificuldade, então o esporte é tudo na minha vida, significa o tudo que hoje eu tenho. A vergonha que eu tinha eu perdi, hoje eu sou bem mais descarado, mais brincalhão através do esporte – afirma.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.